5 pequenas vilas europeias secretas de tirar o fôlego (2/5)

A beleza desse mundo não está somente em cidades muito frequentadas por turistas. É em pequenas vilas europeias que os verdadeiros ares, cores e sabores de seus países mais se expressam.

Você provavelmente já conferiu a primeira parte desta lista de cidades europeias secretas, de 1 a 5. Ainda não? Então clique AQUI e dê uma olhada, vale muito a pena.

As cidades foram selecionadas pela equipe do Travel + Leisure e o Diário de Navegador traz esta apresentação traduzida para vocês. Tomamos a liberdade de alterar um pouquinho as opções de hospedagem listadas abaixo baseado em nossas pesquisas e experiências.

Descubra mais encantos abaixo!

😉

  1. Aberdour, Escócia

Aberdour Escocia Vilas Europeias

O trem parte de Edimburgo e para em uma estação vitoriana próxima a inúmeras flores plantadas ordenadamente às sobras de um castelo medieval. Em agosto, esta aldeia serve como uma base tranquila para visitar o Festival Internacional de Edimburgo. Para o restante do ano, é uma vila da idade média que trabalha com armazéns históricos, quatro pubs acolhedores e até mesmo um estabelecimento fornecedor de suprimentos Wicca. Provocativamente, este estabelecimento é equidistante à Igreja Católica e às Igrejas Episcopais locais.

Como chegar lá: Aberdour está a 30 minutos de trem a partir de Edimburgo.

Onde ficar: O mais viável é conhecer Aberdour a partir de Edimburgo, devido a proximidade entre as cidades e ao fato de que esta pequena vila não possui albergues. Em Edimburgo, recomendamos o Castle Rock Hostel, que possui excelentes referências e diárias que variam de 15 a 30 euros, segundo o Hostelworld.

Onde comer: O hotel local Woodside Hotel oferece ofertas especiais e eventos, que incluem até mesmo golf e casamentos. Ele possui painéis que vieram de navios cargueiros no século XIX e atrai clientes principalmente por servir a famosa carne local: Highland beef.

  1. Norcia, Itália

Norcia Italia Vilas Europeias

Nesta cidadela da Úmbria oriental, a culinária artesanal tradicional vigora. Queijo pecorino é envelhecido por dois anos, cães treinados farejam trufas negras nas florestas, e mel provém de flores selvagens vermelhas que florescem nas planícies. Mas é o cinghiale (javali, em italiano) que enche o lugar de orgulho. Através do centro histórico, o cheiro do salame de javali-selvagem temperado vai desde a norcineria (açougue de carne suína, à grosso modo) até às estradas calmas. Passe pelos prosciutti pendurados nas fachadas para encontrar lojistas cortando porcos com métodos aperfeiçoados ao longo de 800 anos. Peça a eles por uma fatia de ciauscolo fresco e vá até a Piazza San Benedetto, onde moradores locais comemoram o Festival de São Bento na primavera. Um bom plano é visitar a cidade de Fevereiro a Março, durante o Festival de Trufas Negras.

Como chegar lá: Norcia está a mais ou menos 1 hora e 40 minutos de carro a noroeste de Roma.

Onde ficar: Devido às poucas opções de hospedagem e aos altos preços, sugerimos fazer de Norcia um passeio de um dia. Neste caso, se hospede em Roma, onde há várias opções de bons hostels.

Onde comer: Il Granaro Del Monte oferece pratos de massas strangozzi trufada.

  1. Roundstone, Irlanda

Roundstone Irlanda Vilas Europeias

Não há amoras mais saborosas que aquelas colhidas ao longo das travessas sinuosas de Roundstone. Até mesmo os que não curtem frutas vão acham motivos para amar esta vila pesqueira do século XIX. Faça um hiking por Errisbeg Hill para uma vista clara e panorâmica do Parque Nacional de Connemara e de Twelve Bens: uma cadeia de montanhas que se ergue sobre um grande pântano de turfa. Em caso de chuva, quase sempre presente na Irlanda, mate o tempo na loja de Malachy Kearns, que vende interessantes peças artesanais de bodhran, uma espécie de tambor irlandês. Outra opção é se secar ao lado da lareira do bar O’Dowds curtindo um kit: pitada de Guinness com uma dose de uísque irlandês.

Como chegar lá: Roundstone está a 120 quilômetros de Galway.

Onde ficar: Roundstone é tão pequenina que não oferece muitas opções de hospedagem. Uma alternativa é o Connemara Mountain Hostel, a alguns quilômetros ao norte da cidade.

Onde comer: Junte-se aos pescadores no bar O’Dowds ou no Ballynahinch, um castelo/hotel/pub que fica a poucos quilômetros ao leste de Roundstone.

  1. Chassignolles, France

Chassignolles França Vilas Europeias

Há muitos anos atrás, Harry Lester, dono e chef do gastropub londrino Anchor & Hope e seu parceiro, Ali Johnson, depositaram olhares sobre a região francesa de Auvérnia (Auvergne, em francês) e compraram uma pousada de 30 anos feita de pedra na pequena Chassignolles. A vila, popular pela elite de Marseille nos anos 1950, oferece vulcões adormecidos verdes e córregos tortuosos conhecidos por suas propriedades curativas. Turistas podem desfrutar refeições locais enquanto aproveitam a vista marcada pela igreja românica local, do século XII.

Como chegar lá: Chassignolles está no meio do caminho entre Clermont-Ferrand e Le Puy-en-Velay.

Onde ficar: A 80 quilômetros de Chassignolles está Bourges, cidade tão linda que vale um post só pra ela. Se hospede por lá e faça de Chassignolles um passeio de um dia. O Hotel Mister Bed Bourges oferece diárias a partir de 11 euros no Hostelworld.

Onde comer: O hotel Auberge de Chassignolles oferece um menu que muda diariamente e é sempre rico em especiarias da região como pouti (carne de porco, acelga e prune tartine) e tarte aux cèpes.

  1. Folégandros, Grécia

Folégandros Grecia Vilas Europeias

Sem dúvida esse tranquilo ponto das Cíclades gregas não tem nada em comum com sua vizinha Santorini: nenhuma construção foge do padrão histórico local, nenhum navio cruzeiro para em seus portos, nada de lojas e restaurantes chiques. Em vez disso, nesta ilha remota no mar Egeu, ondas quebram em praias de seixos, cabras correm até as colinas e um velho moinho de vento de madeira gira na brisa salgada. É uma fuga deliciosamente calma, não somente para gregos que crescem cansados do tumulto dos turistas, mas também para viajantes que querem cair na cultura local e fugir de destinos-modinha.

Como chegar lá: Existem algumas opções para chegar até este refúgio. Uma delas é pegar um ferry direto de Piraeus, porto em Atenas. Outra ideia é ir primeiro a Santorini, de ferry ou de avião e só depois de lá pegar outro ferry até Folégandros.

Onde ficar: Recomendamos hospedagem em Santorini, desde que reservada com bastante antecedência. Dê preferência para viajar durante a primavera, de forma a fugir um pouco do tumultuoso verão. Nesse caso, Folégandros seria um passeio para um dia.

Onde comer: Irini, uma mercearia que se transforma em restaurante durante a noite, é o local para aproveitar uma comida caseira local.


Perdeu alguma parte da lista? Só clicar em algum dos títulos abaixo! 🙂

Vilas europeias, parte 1.

Vilas europeias, parte 3.

Vilas europeias, parte 4.

Vilas europeias, parte 5.


E aí, o que achou destes destinos? Fique ligado nesta série de cidades que continuará a ser postada em alguns dias. Para não perder, coloque seu e-mail no cantinho inferior direito, clicando em seguir.

O Diário de Navegador está sempre aberto a críticas e sugestões através doFacebook ou comentários! 😀

Escrito por
Mais de Nic Fontes

Frio: saiba o que vestir em temperaturas negativas

O inverno no hemisfério norte, inverno boreal, começou no dia 21 de...
Leia Mais

2 Comentários

Compartilhe suas ideias