5 pequenas vilas europeias secretas de tirar o fôlego (3/5)

O Diário de Navegador continua a apresentar a seleção das melhores vilas europeias para mergulhar na cultura de cada país!

Esta lista foi elaborada pela equipe do Travel + Leisure e traduzida pelo DDN, para fugir do óbvio e aproveitar o que há de melhor nestas vilas europeias secretas. Para experiências com melhores relações de custo e benefício, alteramos as opções de hospedagem com base em nossas pesquisas.

Clique AQUI para conferir a lista anterior e descubra outros destinos europeus secretos!

Aproveite o que vem a seguir!

😀

  1. Terschelling, Países Baixos

Terschelling Vilas Europeias

Apesar de estar a somente 140 quilômetros de distância de Amsterdã e a nordeste de Vlieland (apelidada de “Vli-biza”), a ilha de Terschelling permanece um refúgio. É um paraíso de apenas 30 km de comprimento para viajantes que desejam tranquilos assentamentos de areia em vez dos clubes praianos da parte continental do país. Aqui, casas de madeira e telhados triangulares do século XIX são iluminadas pelo Farol Brandaris, o mais velho ainda de pé da Holanda (construído em 1594). Quando a noite cai durante o verão, por volta de meia-noite, moradores locais ficam até tarde em bistrôs ao longo do porto brindando e bebendo cerveja Jupiler.

Como chegar lá: De março a novembro, diariamente, é possível pegar um ferry a partir de Harlingen e Vlieland.

Onde ficar: Com diárias na média de 19 euros por pessoa segundo o Hostelworld, o hostel Stayokay Terschelling é uma boa opção por suas excelentes avaliações. Atente-se para a taxa de € 1,50 por noite.

Onde comer: De Grië é um bom local para amantes de frutos do mar e vinho.

  1. Marvão, Portugal

Marvão Portugal Vilas Europeias

Existem fortes dramáticos em montanhas e existe Marvão, o rei de todos eles. Localizado no sudeste da região portuguesa de Alentejo, esta cidade é centrada em torno de um castelo mouro que foi cristianizado no século XIII. O complexo de pedra, agora aberto ao tempo como uma espécie de glória em ruínas, fica no topo de uma colina rochosa. A leste, casas e conventos de telhados vermelhos se espalham entre ruas curvas.

Como chegar lá: A partir de Lisboa, são pouco mais de duas horas de carro.

Onde ficar: Apesar da distância, o mais aconselhável ainda é se hospedar em Lisboa devido às poucas opções de hospedagem em Marvão.

Onde comer: Varanda do Alentejo possui uma famosa sopa de cabra.

  1. Getaria, Espanha

Getaria Espanha Vilas Europeias

Todos os direitos reservados: Getaria – Eusko Guide

Se não fosse por San Sebastián, a apenas 25 quilômetros de distância, esta pequena vila portuária basca poderia ter se tornado um dos principais destinos de férias da Espanha. Em vez disso, o porto é conhecido somente por seus frutos do mar: lulas e turbot (peixe local) pescados do Golfo da Biscaia e grelhados a la plancha. As refeições principais são os almoços de Sábado e Domingo, quando moradores enchem de frutos do mar as grelhas e churrasqueiras forradas com caxemira para serem tipicamente espanhóis, com refeições multiculturais regadas à vinho branco Rioja.

Como chegar lá: Getaria está a 25 quilômetros de San Sebastián.

Onde ficar: Com pouco menos de 3 mil habitantes, Getaria não possui uma grande infraestrutura para turistas. Essa é a graça de fugir do óbvio, correto? Por isso opte por se hospedar em San Sebastián e fazer de Getaria um passeio de um dia.

Onde comer: Reserve uma mesa no Restaurante Elkano, uma das churrascarias mais celebradas da região.

  1. Tisvildeleje, Dinamarca

Tisvildeleje Dinamarca Vilas Europeias

Pegar um trem de Copenhagen para Tisvildeleje é como fazer um tour de 80 minutos por cada cantinho da Dinamarca. Subúrbios, zonas rurais verdejantes e florestas densamente arborizadas fazem esta jornada valer muito a pena. Na costa de Kattegat Strait existe uma calma vila com casas de campo, telhados de palha e dunas de areia próximas ao mar. Para aqueles que pensam que a Dinamarca não oferece paisagens praianas memoráveis, uma visita cautelosa a este enclave ensolarado com certeza lhes fará mudar de ideia.

Como chegar lá: Pegue o trem-S rumo ao norte a partir de Copenhagen, com baldeação em Hillerød.

Onde ficar: Tisvildeleje oferece poucas opções de hostels ou hotéis. Recomendamos hospedagens no Airbnb, principalmente se a ideia é viajar em grupo.

Onde comer: Bio Bistro, uma coffeehouse e cinema conhecido por reproduzir performances das primeiras casas de opera da Europa.

  1. Arild, Suécia

Arild Suecia Vilas Europeias

Apesar de muita beleza natural em Arild, uma vila pesqueira em uma península no sudoeste da Suécia, o local mais notório da cidade é na verdade feito pelo homem. Em 1980 o artista Lars Vilks começou a reunir peças de madeira em uma enseada na base de uma encosta. Ele chegou a declarar o local como um país independente chamado Ladonia. Após a polícia tentar desmantelar o trabalho, os artistas Christo e Joseph Beuys entraram nesta história para proteger a instalação. Hoje esta exibição de arte pública, oficialmente batizada como Nimis, é a versão escandinava das Watts Towers de Los Angeles. O labirinto e torres fazem do local magnífico para exploradores corajosos.

Como chegar lá: Este passeio está a duas horas de carro a partir de Copenhagen, mais um trecho de ferry.

Onde ficar: O site Airbnb oferece acomodações que podem sair em conta para quem viaja em grupo. Se não for o caso, considere hospedar em Copenhagen e fazer de Arild um passeio de um dia.

Onde comer: O Hotel Rusthållargården possui um restaurante que serve deliciosos egg cakes com oxicoco (lingonberries).


Perdeu alguma parte da lista? Só clicar em algum dos títulos abaixo! 🙂

Vilas europeias, parte 1.

Vilas europeias, parte 2.

Vilas europeias, parte 4.

Vilas europeias, parte 5.


E aí, o que achou destes destinos? Fique ligado na continuação desta lista que será postada em alguns dias. Para não perder, coloque seu e-mail no cantinho inferior direito, clicando em seguir.

O Diário de Navegador está sempre aberto a críticas e sugestões através do Facebook ou comentários! 😉

Compartilhe suas ideias