5 pequenas vilas europeias secretas de tirar o fôlego (4/5)

Um navegador que se preze está sempre de olho na melhor forma de viver a cultura única de cada destino. Não se preocupe, aqui está a continuação das nossas dicas de vilas europeias para imersão cultural!

As cidades foram selecionadas pela equipe do Travel + Leisure e a lista completa foi traduzida pelo Diário de Navegador. Baseado em nossas pesquisas, tomamos a liberdade de alterar um pouquinho as opções de hospedagem listadas abaixo.

Clique AQUI para conferir a lista anterior e descubra outras pequenas vilas europeias secretas!

Fuja do óbvio, navegador!

🙂

  1. Hellnar, Islândia

Hellnar Islandia Vilas Europeias

Enquanto os remanescentes galpões pesqueiros construídos pelos colonos de Hellnar no século XI sugerem que esta cidade não mudou nada desde a chegada dos Vikings, de certa forma ela é a vila mais contemporânea da Islândia. Os poucos moradores locais, todos pescadores, compartilham um sério comprometimento com a preservação do meio ambiente. Casas e fazendas em Hellnar, localizadas no remoto final da península virada para a geleira Snaefellsjökull, são aquecidas por sistemas hidroelétricos eco-friendly. Além disso, o Hotel Hellnar foi o primeiro estabelecimento hoteleiro no país a ser certificado pelo Green Globe, o sistema de certificados internacional de sustentabilidade.

Como chegar lá: A partir do aeroporto internacional de Keflavík, Hellnar está a 3 horas e meia de carro.

Onde ficar: Uma boa opção é alugar um espaço em Hellnar através do Airbnb.

Onde comer: O Hotel Hellnar e o Hotel Budir são propriedades de luxo em uma chácara que servem rodízios de peixe recém pescados.

  1. Slavonice, República Tcheca

Slavonice Republica Tcheca Vilas Europeias.jpg

Durante 41 anos de comunismo no país, Slavonice, na metade do caminho entre Praga e Viena, estava muito próxima à Cortina de Ferro aos olhos do governo. Desde a Revolução de Veludo (Velvet Revolution, 1989), esta aldeia fora do radar serviu como refúgio a pintores e oleiros que vinham de Praga. Na época ela possuía apenas duas praças e casas burguesas pintadas com cenas bíblicas renascentistas. Não estamos dizendo que a cidade se tornará uma mini Berlin, mas de acordo com o Instituto de Slavonice para arte e pensamentos progressistas do arquiteto inglês John Lifton, esta vila já faz parte do mapa mundial de arte.

Como chegar lá: Slavonice está a duas horas de carro ao sul de Praga.

Onde ficar: Devido à proximidade de Praga, a melhor ideia é fazer de Slavonice um passeio de um dia. A capital tcheca oferece muitas opções de hospedagem. Recomendamos o Art Hole Hostel, que possui boas recomendações no Hostelworld.

Onde comer: O Hotel Alfa possui um restaurante que serve a tradicional sopa goulash (uma espécie de strogonoff de carne) e bolinhos salgados em um edifício gótico bem antigo.

  1. St. Mawes, Inglaterra

St Mawes Inglaterra Vilas Europeias

As casas de campo brancas, as casas de chá e cais de St. Mawes, ao sul da região inglesa de Cornualha (Cornwall, em inglês), parecem um palco para os pescadores locais venderem seus pescados. Durante a noite, você vai encontra-los bebendo Betty Stogs, cerveja local do tipo ale, enquanto jogam sinuca no St. Mawes Billiards & Social Club. Ao sul da cidade você encontrará o Castelo de St. Mawes, construído entre 1540 e 1542 para proteções contra a França e o Sacro Império Romano-Germânico.

Como chegar lá: St. Mawes está a cinco horas de carro a sudoeste de Londres.

Onde ficar: O Airbnb oferece boas opções de hospedagem na cidade e região.

Onde comer: Não deixe de ter um almoço de fazendeiro no Café Chandlers e experimentar um de seus bolinhos tradicionais.

  1. St-Geniès, França

St-Genies França Vilas Europeias

O Condado de Périgord, no departamento francês de Dordonha (Dordogne, em francês), é casa de duas das iguarias francesas mais cobiçadas: o foie gras e trufas. Em dias de mercado na pequena vila de St-Geniès, duas horas a leste de Bordeaux, pessoas carregam suas cestas de vime para a praça da cidade. Fornecedores então vendem suas pommes sarladaises (batatas sautées preparadas à gordura de pato e alho) com saucissons enrolado com ervas. Caso vá experimentar o foie gras, uma boa ideia é dar voltas de bicicleta pela região rural da cidade para queimar as calorias e explorar a linda região.

Como chegar lá: Pegue a estrada A89 a partir de Bordeaux.

Onde ficar: Escolha uma boa acomodação em Bordeaux e faça de St-Geniès um passeio de um dia. O Hotel Stars Bordeaux Gare possui boa localização e avaliações no Hostelworld.

Onde comer: O restaurante Le Château é aconchegante, diferente e possui bons pratos tradicionais.

  1. Kardamili, Grécia

Kardamili Grécia Vilas Europeias

Se você já ouviu dizer que as montanhas escarpadas e praias de areia banca da região de Mani valem a viagem a partir de Atenas, você não está sozinho. Para cair de cabeça na cultura local, peça moussaka acompanhada com saladas gregas tradicionais na Lela’s Taverna e curta o Golfo de Messênia durante uma caminhada.

Como chegar lá: Uma vez em Atenas, dirija por três horas rumo ao sul, passando por Peloponeso até Mani.

Onde ficar: Devido à longa distância de ouras cidades e aos poucos hostels e hotéis em Kardamili, alugar um espaço através do Airbnb é a melhor opção para aproveitar a região.

Onde comer: Lela’s Taverna para comida grega caseira.


Perdeu alguma parte da lista? Só clicar em algum dos títulos abaixo! 🙂

Vilas europeias, parte 1.

Vilas europeias, parte 2.

Vilas europeias, parte 3.

Vilas europeias, parte 5.


E aí, o que achou da quarta parte desta lista? Fique ligado que a última parte sairá em breve!

Não se esqueça que o Diário de Navegador está sempre aberto à críticas e sugestões via Facebook e comentários.

Compartilhe suas ideias