Como funciona o Paris Pass: vale a pena comprar?

Cartão Paris Pass

Aqui vai uma dica valiosa para conhecer Paris! A cidade tem várias atrações legais e as vezes você vai precisar andar muito para chegar até elas. Sem contar que normalmente as filas para entrar são grandes e tomam uma parte do seu dia. Muitas pessoas sugerem e viajam com o Paris Pass, então resolvemos investigar como funciona o passe e se realmente vale a pena.

Como funciona o Paris Pass

O Paris Pass te dá direito a conhecer (sem fila) as atrações mais famosas da cidade, além do Palácio de Versalhes, 9 museus, tour pela cidade, tour de vinhos (wine tasting), passeio de barco pelo Rio Sena e o famoso ônibus hop on hop off.

O site do Paris Pass ainda conta com um guia gratuito e vários mapas para te ajudar a planejar o seu roteiro. É só entrar no site e fazer o download!

Ah! Ainda tem mais um benefício: com o cartão, você tem acesso gratuito aos transportes públicos de Paris (zona 1 a 3: metrô, ônibus, RER e tram). Além disso, ainda cobre quase o valor total das rotas de chegada e saída dos aeroportos e Versalhes (zonas 4 e 5).

Para te deixar mais seguro com a compra do cartão, o Paris Pass tem uma garantia de devolução de 30 dias após a compra. A única condição é que o cartão não tenha sido usado. Mas se você comprar antes da sua viagem e depois ver que não vai ser necessário, ou chegar em Paris e não usar o cartão, é só pedir o reembolso (desde que dentro dos 30 dias). O reembolso só vale também para compras efetuadas no site do Paris Pass (que é o que disponibilizamos aqui no Diário de Navegador).

Saiba mais sobre como funciona o cartão no site oficial aqui.

Como comprar o Paris Pass

O Paris Pass pode ser comprado para 2, 3, 4 ou 6 dias. Funciona da seguinte maneira: esses 2, 3, 4 ou 6 dias começam a valer a partir do momento que você usa pela primeira vez, seja em uma atração ou transporte. Escolha o passe baseado no seu roteiro e em quantos dias você pretende ficar na cidade. Confira aqui os valores. Lembrando que crianças tem desconto.

Para comprar o cartão, basta acessar esse link e efetuar a compra online. O site é extremamente seguro! Você pode optar por receber o Paris Pass em casa antes da sua viagem ou retirar em Paris quando chegar.

Vale a pena comprar o Paris Pass?

Se você vai ficar poucos dias e tem que aproveitar ao máximo, se prefere não perder tempo nas enormes filas, se pretende usar transporte público e se quer conhecer as mais famosas atrações do mundo, então SIM, O PARIS PASS VALE A PENA (vale ainda mais para quem está indo pela primeira vez e não está familiarizado com a cidade). Basta fazer um simples raciocínio para entender o porquê.

Imagino que visitar Paris não é uma coisa corriqueira para muitas pessoas. O ideal seria aproveitar a sua viagem para conhecer os pontos turísticos que te interessam, sem perder parte dos seus dias contados se preocupando com fila. O conforto de chegar em uma atração e poder aproveitá-la sem stress, é impagável. Além disso, acredito que a facilidade de se transportar sem se preocupar com qual é o melhor bilhete a se comprar para economizar também é muito desejável.

Porque o Paris Pass vale a pena

A questão é que financeiramente, o Paris Pass vale a pena. No primeiro momento parece ser muito caro, o que deixa as pessoas um pouco em dúvida. Mas quando você faz as contas (e nós fizemos) o preço dele vale a pena. Tirando todo o conforto a parte, é um favor que você faz ao seu bolso. O próprio site do passe faz uma comparação de preços baseado nas principais atrações visitadas em Paris:

Tabela comparativa de preços
Infelizmente o site não tem versão em português. Foto do site do Paris Pass.

Nós estamos sempre atualizados com as melhores dicas para viajar barato! Coloque seu nome e e-mail abaixo para receber gratuitamente novas publicações do Diário de Navegador em sua caixa de entrada! 😀

Não vai ficar fora dessa, né?

Considerando um roteiro de 4 dias, você pode chegar a gastar mais de EUR 230 com poucos passeios e atrações limitadas em apenas 4 dias. O que o passe faz por você, é dar a chance de conhecer mais atrações por um preço menor, ou seja, você pagaria menos por atração, isso sem contar com transporte. Fica parecendo que o transporte é muito barato e devemos ignorá-lo, mas na verdade pode ser um peso muito grande. Considerando que o passe diário pode custar até EUR 30 (se incluir as zonas de aeroportos e Versalhes), o transporte pode sair caro.

Confira:

Quer conferir? Então clica nesse link e veja as atrações que estão inclusas no Paris Pass e quanto custam separadamente.

Pela nossa experiência, o único caso que pode não valer a pena investir no Paris Pass, é se você é estudante da União Européia e tenha a carteirinha da sua instituição de ensino ou tenha menos de 26 anos (que foi o nosso caso). Para essas pessoas, existe entrada gratuita em várias atrações, inclusive Louvre, Arco do Triunfo, Versalhes e Torre Eiffel. Mas lembrando que você terá que ficar na fila e pagar pelo transporte público!

Te todos os passes para cidades europeias, acredito que o Paris Pass seja o que mais vale a pena por ser tão completo e por promover uma economia de tempo e dinheiro tão boa.


Pesquisamos muito e vimos que o passe seria uma ótima opção. Principalmente para turistas de primeira viagem, maiores de 26 anos ou com pouco tempo na cidade (menos de 4 dias). Por isso, fizemos uma parceria com o Paris Pass para oferecer mais essa opção para nossos leitores. Comprando o Paris Pass pelo Diário de Navegador, nos ganhamos uma pequena comissão! Mas não se preocupe, você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda a manter o blog vivo!

Foto de capa retirada do vídeo da Vidtur.com.


Se você gostou desse post e quer dar uma olhadinha nele outras vezes, salve a imagem abaixo no seu painel de viagens no Pinterest! 😀

Uma dica valiosa para Paris! Muitas pessoas sugerem e viajam com passe, então resolvemos investigar como funciona o Paris Pass: vale a pena?

 

E você? Já usou o Paris Pass? Compartilhe sua experiência!

Lembre-se que o DDN está aberto a críticas e sugestões via Facebook, comentários e através do nosso contato direto.

Tags relacionadas
, ,
Escrito por
Mais de Mar Falco

O que fazer em Eindhoven: o centro tecnológico da Holanda

Quinta cidade mais populosa da Holanda e importante centro educativo e tecnológico...
Leia Mais

3 Comentários

  • Ahoy, Mar! Obrigado pelo comentário. Infelizmente prestação de serviços estão sujeitas a erros… (embora não devessem). Acabamos sendo “sorteados”. Felizmente não somos marinheiros de primeira viagem e pudemos curtir bastante, nossa viagem foi excelente! Abraço e boas viagens!

  • Olá, segue minha avaliação:
    Comprei 3 Paris Pass para 3 dias pela internet no dia 22/09/2017 e no meu recibo informaram que meus passes estariam disponíveis somente no dia 28/09/2017. Antes não.
    Ok, como teria os dias 28/09, 29/09 e 30/09 para aproveitar melhor os passeios e atrações, não vi problemas. Pensei: “Pego os passes logo cedo no dia 28 e aproveitaremos os 3 dias”. Ao comprar os passes, ainda paguei o adicional de acesso ao segundo andar da Torre Eiffel. Não imaginava que estava comprando problemas ao invés de solução turística.

    No dia 27/09/2017, já em Paris, sentado num café e lendo nossos programas de passeio e reservas, percebi uma inconsistência de datas: Nosso Paris Pass só poderia ser retirado no dia 28 (no voucher estava bem claro : “Você escolheu o modo de entrega: RETIRADA em 28 setembro 2017…. Cuidado! Não se esqueça de apresentar este e-mail na retirada junto com um documento de identidade…. O seu pedido não poderá ser entregado(sic) antes da data escolhida no momento da reserva”

    Aí começaram os problemas. Na hora da compra não percebi, nem lembrava que o acesso da torre, escolhido por mim, ficara agendado para o dia 27. Apenas a data da retirada dos passes havia ficado na minha cabeça : o dia 28! Mas como assim? Só retirar no dia 28 e visitar a Torre Eiffel no dia 27? Como? Só percebi esse problema depois, tomando um café descontraidamente….

    Assim, fui imediatamente tentar retirar os passes. Mas já passava das 17h! Ou seja, o horário marcado na reserva da Torre Eiffel para 16h já estava perdido. Já no escritório do Paris Office em Pyramides, a despeito da data de entrega dos Paris Pass estar expressamente definida no voucher para o dia 28, me entregaram os passes, no dia 27 mesmo, já quase às 18h.

    No momento da retirada, chamei a atenção da atendente para o detalhe das datas. Entendi que estava tudo bem e que poderia usar o voucher da Torre Eiffel no dia seguinte.

    Problema 1: Assim, no dia seguinte, lá fomos nós para conhecer o maior símbolo francês e….. fomos barrados!
    O atendente do guichê oeste da torre disse que não poderia liberar as entradas para o segundo andar pois eram para o dia anterior. Tentei argumentar, inclusive no voucher marcava a data e hora de retirada no escritório do Paris Office : salvo engano, marcava 17:50 do dia 27.
    Ele ainda ligou para um superior dele mas mesmo assim não nos entregou os passes… Bem, já estávamos lá mesmo e francamente, refazer todo nosso itinerário de passeios para perder horas ou mais reclamando num escritório do outro lado da cidade…. Achamos melhor comprar novos passes lá na hora e conhecer a torre naquele momento.

    Problema 2: Reservamos o dia 30 (sábado) para conhecermos o Palácio de Versalhes. Lá fomos nós. Uma hora e tanto de viagem mais uns bons 50 minutos de fila e na hora de entrar, apresentamos nosso Paris Pass e…..Barrados!!! “Como? Esta atração está inclusa! Sim senhor, está mas seu passe expirou ontem, dia 29…”

    Isso mesmo. Compramos o passe para 3 dias: 28,29 e 30. Mas como na minha compra houve o desencontro de datas da visita à Torre Eiffel, retiramos os Paris Pass no dia 27. Assim, o que seria 28, 29 e 30 passou a ser 27, 28 e 29!!! Mais prejuízo!! Ultimo dia de férias, ultimo dia para aproveitar. Compramos os 3 ingressos para não perdermos a viagem.

    Resumo:
    Nunca mais comprarei esse tipo de passes “all museums and etc…” É caro, tendo em vista que ninguém em 3 dias visita mais que meia dúzia de boas atrações e mesmo assim, bem “an passant”. Melhor pagar na hora. Visitar quinze, vinte atrações como sugere e está incluso no preço do Paris Pass e outros similares, acaba virando uma espécie de “masturbação cultural”… E paga-se por isso!!!!

    Problema 3 : Paguei no total 432 euros nos 3 Paris Pass, por 3 dias. Mais uns 50 euros na torre e uns 57 euros em Versalhes (que no meu entendimento foi por falha do Paris Touris Office): total queima de dinheiro!!
    Nunca mais. Espalharei minha experiência em quantos blogs e sites de viajantes eu puder.

    • Ahoy Ricardo, tudo bem?

      Agradecemos o seu comentário! É muito importante saber os problemas que acontecem nas contratações de serviços turísticos. Às vezes escutamos apenas elogios (como foi o nosso caso com o Paris Pass) e não ficamos sabendo de eventuais problemas.
      É realmente lamentável que esta situação tenha acontecido com vocês. Espero que este tipo de feedback ajude na melhora de serviços e comunicações entre empresas e clientes.

      Abraço!

Compartilhe suas ideias