Morar na Itália sem falar italiano é possível?

Viajante em Veneza.

O sonho de morar na Itália é compartilhado por muitas pessoas. Eu, inclusive, sempre fui essa pessoa. Especialmente depois que descobri que era descendente de italianos, como é o caso de muita gente. A Itália é um país incrível, histórico, com uma das melhores gastronomias do mundo e cheia de cidades famosas e maravilhosas. Por isso não é segredo que muitos de nós queremos estudar, trabalhar, viajar ou morar de vez no país. Mas será que é possível morar na Itália sem falar italiano?

A resposta a princípio é sim. Afinal, às pessoas estão sempre viajando para países que não conhecem o idioma. Mas pense bem qual é o seu caso e esteja preparado para lidar com as consequências da sua comunicação!

Foto da série Encontros Remotos, da Babbel.

Mas eu sei inglês, isso ajuda?

A primeira coisa que temos que ter em mente, é que os italianos, fora das zonas mais turísticas, raramente falam outro idioma. O desafio de morar lá sem falar italiano inclui aprender italiano – mesmo que super básico –, pois sem falar nada, vai ser muito difícil.

Quando falamos em ir para a Itália sem falar italiano, quer dizer ir sem ter aprendido no Brasil. Mas é importante se esforçar quando chegar lá. Claro que tem algumas frases coringas que já te ajudam muito no convívio e, estas, você irá aprender rápido.

A verdade é que saber inglês sempre ajuda. Outras línguas como francês e espanhol ajudam mais ainda, já que são parecidas com o italiano. Algo como o nosso “portunhol”. Mas o inglês já te permite conversar mais em cidades maiores como Roma ou Milão, especialmente em zonas turísticas.

O sotaque da maioria dos italianos (estereótipo?) não costuma ser muito “americano”. A língua italiana tem uma particularidade que é terminar as palavras com vogais. Até o plural no italiano termina com vogal. Por exemplo: ragazza (menina) -> ragazze (meninas). Por isso, o sotaque dos italianos foge um pouco do inglês, já que várias palavras inglesas terminam com consoantes. Os italianos acabam colocando uma vogal que não existe para terminarem as palavras.

O bom de falar inglês, é que você pode pedir ajuda para outros estrangeiros que estão na Itália, caso não consiga se comunicar direto com os italianos. Esta é a beleza do inglês em qualquer país.

Vou estudar em uma universidade italiana, posso ir apenas com o inglês?

Universidade de Bolonha.
Universidade de Bolonha.

Para quem pretende estudar na Itália, tudo vai depender da escola que você escolher. Eu, por exemplo, estudei na Universidade de Bolonha. É a universidade mais antiga do mundo ocidental e fica em uma cidade incrível, que é Bolonha. Um dos vários motivos que escolhi a universidade, foi o fato de ser bilíngue, ou seja, as aulas eram ministradas em inglês e em italiano.

Apesar de estar estudando Relações Internacionais no Brasil, acabei pegando algumas matérias do curso de História. Na hora de montar minha grade, eu podia escolher matérias que seriam completamente ministradas em italiano ou matérias todas em inglês. Com isso, o idioma não seria um empecilho.

Se você pretende ir para uma escola que tenha apenas aulas em italiano, deve ficar atento às suas exigências. No meu caso, eu consegui passar no processo seletivo do intercâmbio justamente porque falava inglês fluente. Eu precisava ter ou inglês ou italiano fluente, já que a universidade ministrava aulas nos dois idiomas. Confira se a sua escola também aceita alunos que falem apenas inglês.

Se não tiver aulas em inglês, dificilmente aceitará um aluno que não fale italiano. E, na verdade, mesmo se aceitar, recomendo que estude um pouco de italiano antes, ou será muito difícil acompanhar as aulas.

Quero ir para trabalhar, é possível ir sem falar italiano?

Café Subemprego Australia

Trabalhar na Itália é um tópico um pouco sensível. A Itália está em uma recessão econômica há alguns anos, assim como outros países da Europa. Conseguir um emprego no país não está sendo muito fácil nem para os nascidos lá. Aqui, você precisa considerar algumas coisas.

  1. Se você precisar de visto para trabalhar, será mais difícil, pois já precisa ter o emprego garantido antes de solicitar o visto.
  2. Se possui alguma cidadania européia, pode ir para a Itália procurar emprego sem necessidade de visto.
  3. Dificilmente existirão vagas para estrangeiros ou europeus que não falem nada de italiano. Afinal, os próprios italianos estarão preenchendo as vagas de emprego.
  4. Se você já tem o emprego e está se mudando com ele já garantido, deve ficar atento às suas tarefas para ver qual a urgência de aprender italiano (já que, eventualmente, você terá que aprender).

Mas não desanime! Existem várias formas de conseguir trabalhar na Itália. Você já considerou, por exemplo, ser um nômade digital? Já se informou sobre trabalhos voluntários? E estudo e trabalho? Fique atento à empresas com sedes na Itália, procure agências de intercâmbio, pesquise bastante e seja flexível com datas. Sei que morar na Itália por um ano ia ser o ideal, mas às vezes um trabalho voluntário de 3 meses já te deixaria feliz. 🙂

A moral da história é a seguinte: não importa como você vai conseguir o seu emprego. Se pretende trabalhar na Itália, é importante se dedicar a aprender o idioma. Seja aqui no Brasil antes de ir ou chegando na Itália. O italiano fará muita falta se precisar interagir diretamente com os italianos.

Turistas precisam falar italiano?

Viajante em Veneza.

Em qualquer tipo de estadia que você quiser fazer pela Itália, saber italiano vai ser sempre a melhor opção. Mas para turistas, essa realidade é completamente irreal. Ninguém aprende um idioma para passar 20 dias no país passeando. E não se preocupe: todo mundo sabe disso!

Como eu já disse, as zonas mais turísticas costumam aceitar bem o inglês, francês, espanhol ou até mesmo o português. O que mais conta aqui não é necessariamente o idioma que você irá falar caso não saiba italiano. É o jeito que você irá conversar com as pessoas.

É muito simples. Pensa você aqui, no Brasil. Um estrangeiro chega até você e começa a falar um monte de coisa em inglês. Se você não conhece o idioma, dificilmente irá tentar manter uma conversa com ele. Mas, se ele chegar e dizer um “bom dia”, “desculpe o meu português, ainda estou aprendendo” e então começar a falar em inglês, a sua reação provavelmente seria outra.

Essa dica serve para qualquer viajante em qualquer país do mundo. Aprenda algumas palavras e expressões do idioma local. O tratamento que você irá receber de um italiano, por exemplo, será muito melhor se você se esforçar para dizer um “buongiorno signore, me dispiace, ma io non parlo bene l’italiano. Può aiutarmi?” (Bom dia senhor, não falo bem italiano. O senhor pode me ajudar?).

Estou indo para a Itália reconhecer minha cidadania. Preciso falar italiano?

Foto: Centro Cultural Brasil Itália.

Este caso é bem específico. Não pense em você como turista, estudante ou trabalhador. Nos últimos anos, muitos brasileiros reconheceram suas cidadanias diretamente na Itália. Com a demora das filas dos consulados, está prática ficou muito popular.

Aqui existem três opções e para cada uma, uma resposta diferente. Se você vai fazer o seu processo com assessoria, deixe este “problema” do idioma para eles. Você não precisará aprender italiano, pois a empresa fará todos os tramites por você. Claro que seria bem legal se você aprendesse, antes ou depois de reconhecer sua cidadania. É uma forma bem legal de se tornar um italiano.

Se você está fazendo o processo com ajuda de algum familiar ou amigo que estará com você na Itália e que fala italiano, segue a mesma dica acima. Não será necessário que você aprenda, já que terá pessoas para fazer o intermédio de comunicação por você.

Mas, se você pretende fazer o seu processo sem assessoria e não conhece alguém para te ajudar direto na Itália, o ideal é que você aprenda, pelo menos o básico, antes de ir. O comune pode dificultar algumas coisas para você, você não terá muitas formas de conferir o processo e pode ter mais trabalho. Lembrando que nada é impossível e se você realmente quiser ir sem falar italiano, pode dar muito certo também. Se não der para aprender e você estiver passando aperto com a língua, contrate um tradutor para te acompanhar. É uma ótima saída.

Minha experiência morando na Itália sem falar italiano

Eu fui uma aluna de intercâmbio da Università di Bologna por seis meses. Morei em Bolonha com algumas brasileiras e uma italiana, que também falava outros idiomas, como o inglês.

Porque não aprendi italiano antes de ir

A Mar em Veneza.
Veneza.

Eu quis muito ter feito o curso de italiano aqui no Brasil antes de ir. Até porque é um idioma que sempre esteve na minha “lista” e sempre quis aprender. No entanto, nem sempre as coisas podem acontecer ao mesmo tempo, não é mesmo?

Eu passei em um processo seletivo da PUC Minas, minha universidade no Brasil. O programa não dava bolsa, eu apenas não pagaria o estudo, mas todas as despesas de moradia, alimentação, passeios, documentação, passagem aérea, seguro, etc, eram minhas. Eu trabalhei, juntei dinheiro e estava pronta para ir. Cheguei a entrar em contato com as escolas de idioma, mas eu não poderia pagar o curso de italiano no Brasil, pois esse dinheiro me faria falta na Itália. E foi por isso que fui sem aprender o idioma.

Aulas de italiano

Eu cheguei na Itália sem saber absolutamente nada de italiano. A universidade oferecia um curso de três semanas para os alunos estrangeiros. Entrei no curso, aprendi o básico do básico, mas não mais que isso. Na minha sala tinham muitos alunos de nacionalidades muito diferentes e vários deles tinha alfabetos diferentes, por exemplo. Com isso, as aulas ficavam cada vez mais básicas, coisas que para brasileiros eram fáceis, já que temos estruturas e palavras muito parecidas com o italiano.

Lembro de um dia a minha professora gastar uns 20 minutos explicando o que significava a palavra “quando”, que é igual ao português. A aula era ministrada em inglês, então os alunos precisavam entender o significado da palavra em inglês para depois aplicarem no italiano. Então, mesmo que tenha ajudado um pouco, não foi tão bom quanto eu achei que seria.

Para economizar na alta do euro (que chegou a R$5,00 quando eu estava lá), eu morava em um quarto duplo com outra brasileira e acabamos colocando mais duas meninas no quarto com a gente. O quarto era bem grande, então coube todo mundo bem, mas estávamos em um quarto quádruplo por seis meses.

Duas dessas meninas já falavam italiano e, apesar de quase sempre falarem por mim para me ajudar, me ensinaram várias coisas do idioma.

Nós estamos sempre atualizados com as melhores dicas para viajar barato! Coloque seu nome e e-mail abaixo para receber gratuitamente novas publicações do Diário de Navegador em sua caixa de entrada! 😀

Não vai ficar fora dessa, né?

Vivendo na Itália

Bologna do alto da torre Asinelli #bologna #duetorre #italia #asinelli #wanderlust #sun #sunset #travel

A post shared by Marcela Falco Domingos (@falcomar) on

Pra mim, acabou sendo mais fácil morar sem falar o idioma, já que eu estava sempre com pessoas que falavam italiano. Mas isso acabou sendo um problema também, pois eu não precisava tentar aprender muita coisa. Assim, não voltei para o Brasil falando o italiano que eu queria.

O choque da falta de comunicação

O meu primeiro choque linguístico foi assim que cheguei. No meu primeiro dia, a italiana que morava comigo estava no apartamento, mas estávamos apenas nós duas, já que ainda eram férias. No dia seguinte, ela viajou bem cedo e eu acabei fiquei uma semana sozinha em casa e sem nenhum conhecido no país. Eu precisava tirar um documento italiano, que se chama permesso di soggiorno e que valia como uma “confirmação” de visto, atestando que eu estaria legal ficando mais de três meses no país.

Bom, o permesso deve ser solicitado na primeira semana do estudante na Itália. A universidade tinha um centro de relações internacionais que ajuda os estudantes com este processo. Na mesma semana que eu havia chegado no país, que a única pessoa que eu conhecia havia viajado, o escritório estava de recesso. Então tive que me virar e fazer tudo sozinha sem conhecimento nenhum da língua, até porque isso tudo aconteceu antes do meu cursinho de três semanas.

Foi a época mais estressante do meu intercâmbio. No final daquela semana, eu iria para a Grécia e já precisava de todos os documentos em andamento. Então tive que fazer o codice fiscale (tipo um CPF), solicitar o permesso (explicar o que era permesso, pois a atendente não sabia o que era), me transportar, comprar comida e fazer absolutamente tudo e sem falar italiano. Para aumentar um pouco o drama, na mesma semana minha câmera fotográfica e meu celular quebraram no mesmo dia. Sim, eu conheci a Grécia sem câmera ou celular para tirar fotos!

Outra vez que eu passei pela situação de estar sozinha sem falar muito do italiano foi no meu segundo mês no país, quando o Nic foi me visitar. Eu já tinha aprendido várias coisas em italiano, mas foi a primeira vez que tive alguém dependendo da minha conversação.

Casal a bolonhesa #bologna #italia #wanderlust #christmastree #love

A post shared by Marcela Falco Domingos (@falcomar) on

O Nic morava na França e falava francês, mas não sabia nada de italiano. Tudo dependeu da minha fluência. Foi mais um momento difícil, mas desta vez super gratificante! Percebi que já sabia sim me virar com o pouco italiano que eu tinha e que conseguiria fazer qualquer coisa com o meu esforço.

O resultado da minha escolha de ir sem falar italiano

Eu e Netuno, Netuno e eu #bologna #italia #wanderlust #eurotrip #italy #netuno

A post shared by Marcela Falco Domingos (@falcomar) on

O que levei dessa experiência, é que conseguimos sim nos virar sem falar italiano. Não é fácil, seria muito melhor já saber o idioma, mas não é impossível. Você vai precisar apenas de mais dedicação, confiança e paciência. Afinal, é errando que se aprende! E acredite, a gente aprende mesmo!

Voltei para o Brasil sabendo conversar mais ou menos em italiano, mas com uma gramática muito fraca. Sempre quis aprender italiano e ser fluente, então assim que cheguei no Brasil, me matriculei na escola de idiomas e comecei a aprender do zero novamente.

Hoje, já falo italiano! 😀

Não me arrependo nem um pouco de ter escolhido ir para a Itália sem falar italiano, porque se eu tivesse pago um curso no Brasil, não teria conseguido viajar tanto assim pela Europa. Naquele momento, eu queria mais viajar, que aprender italiano. E fico muito feliz da minha decisão, pois hoje sei que viajei o máximo que eu consegui e ainda assim consegui aprender italiano corretamente em uma ótima escola aqui no Brasil. Tudo no seu tempo.

Aprendendo um pouco de italiano

Se você vai a turismo, estudo ou trabalho, não importa. O importante é que se você quer ser bem tratado e se comunicar com mais facilidade e sem stress, te aconselho a aprender algumas palavras e expressões italianas que pode te ajudar!

Olá – Ciao (som de “tchau”)
Bom dia – Buongiorno
Boa tarde – Buonasera
Boa noite – Buonanotte
Tudo bem? – Come stai? 
Eu não falo italiano – io non parlo l’italiano 
Você fala inglês? – Parla inglese?
Onde fica o/a…? – Dove sta il/la…
Que horas são? – Che ore sono?
Quero um/uma… – Vorrei un/una…
Por favor – Per favore
Obrigado(a) – Grazie
De nada – Prego
Tchau/Até mais – Ciao, arrivederci

Dicas para estudar italiano

Para quem quer aprender italiano, saiba que existem vários cursos online. Alguns cursos ensinam o italiano a partir do inglês, então você já precisaria saber inglês. Mas tem alguns cursos e livros que ensinam a partir do português, o que é ótimo!

Estudando pela Internet

Gosto (e usei) do Duolingo. Ele ensina a partir do inglês e foca mais em vocabulário, mas me foi bem útil e é gratuito.

Para quem pode investir um pouco para ter um resultado melhor, a Babbel Idiomas também é uma excelente opção. Eles tem uma versão gratuita mais básica também. No Youtube também existem vários canais que ensinam um pouco de italiano. Pesquise bastante e seja dedicado!

Livros que recomendo

Para quem vai a turismo e quer aprender o básico para turistas, recomendo o livrinho 15 Minutos Italiano. Aprenda o Idioma com Apenas 15 Minutos de Prática Diária. Eu ganhei ele antes de ir para a Itália e na parte turística foi minha salvação! Andava com ele para todos os lados e tive muito sucesso com meu italiano.

Livro 15 Minutos Italiano.

Para complementar estes estudos, invista em livros. São ótimos para te ajudar com gramática e exercícios, além de manterem um crescimento lógico para o seu aprendizado. Eu estudei na minha escola de idiomas com os dois livros da coleção Progetto Italiano. São muito bons e recomendo ambos. Cada livro equivale a um ano de curso e tem também um caderno de exercícios.

Para quem quer realmente aprender italiano, é preciso investir um pouco. Cursos gratuitos são muito bons para cobrir o básico, mas ensinam poucas coisas além disso.

Você pode comprar os livros pelos link abaixo. Os dois livros são bem completos e acompanham CD tanto nos livros de estudo quanto nos livros de exercício.

Livro 1: Nuovo progetto italiano. Libro dello studente e livro de exercícios 1: Nuovo progetto italiano. Quaderno degli esercizi. 

Livro 2: Nuovo progetto italiano. Libro dello studente: Level 2 e livro de exercícios 2: Nuovo progetto italiano. Quaderno degli esercizi italiano 2 

Livros Progetto Italiano 1 e 2 com caderno de exercício.

Como gramática e dicionário, recomendo a Nuova grammatica pratica della lingua italiana, que é uma gramática ótima com exercícios e o Michaelis Dicionário Escolar Italiano.


Ficou com alguma dúvida ou curiosidade? Deixe uma mensagem nos comentários que faremos o possível para te ajudar!

Se você gostou desse post e quer dar uma olhadinha nele outras vezes, salva a imagem abaixo no seu painel de viagens no Pinterest! 😀

O sonho de morar na Itália é compartilhado por muitas pessoas. Mas será que é possível morar na Itália sem falar italiano? Confira com que já tentou!

E você, já foi para alguém país sem saber o idioma? Conte pra gente como foi!

Lembre-se que o DDN está aberto a críticas e sugestões via Facebook, comentários e através do nosso contato direto.

Tags relacionadas
, ,
Escrito por
Mais de Mar Falco

Qual a diferença entre seguro viagem e seguro saúde?

Mesmo para viajantes experientes, as definições e conceitos ligados aos seguros podem...
Leia Mais

Compartilhe suas ideias