Itália: saiba o que conhecer em Veneza!

Veneza é uma das mais famosas cidades do mundo e conhecida como a terra dos apaixonados. Essa belíssima cidade na região do Vêneto, tem tanto para se conhecer, que daria para passar um dia todo escrevendo sobre ela. Veneza é uma cidade única no mundo e tem sido cada vez mais visitada. São 170 canais, 400 pontes e 108 ilhas que compõe a cidade eternizada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Então vem com a gente e descubra o que conhecer em Veneza!

Como chegar

Chegar até Veneza é fácil. Por ser uma das cidades mais visitadas da Itália, existem muitas opções de transporte e horários. A Estação Santa Lucia (Stazione Veneza Santa Lucia), principal estação de Veneza fica próxima ao centro turístico. Junto da estação, está também a parada para ônibus de viagem.

Uma outra alternativa para chegar até Veneza, é comprar uma passagem até a Estação de Mestre (Stazione Venezia-Mestre), distrito de Veneza – como foi o meu caso. É mais distante da zona turística, mas é uma boa opção para quem vai hospedar na parte continental da cidade. Para ir da Stazione Venezia-Mestre para a Stazione Veneza Santa Lucia, basta pegar o ônibus número 2, que gasta 20 minutos ou ir de trem em 10 minutos.

Para ir de alguma outra cidade até Veneza, consulte as principais empresas de transporte da Itália: Trenitalia e ItaloTreno, para trens e Megabus, Flixbus, Buscenter.it e Baltour para ônibus. Você pode fazer a comparação de preços de ônibus nesse site.

Fiz de Bologna até Venezia-Mestre pela Italo por EUR 6 em 1 hora e 10 minutos.

Transporte em Veneza

Não vale muito a pena ir para Veneza de carro, pois os carros não andam na cidade. Você deve chegar e estacionar na Piazzale Roma, na entrada da cidade, pois eles não passam dali. Dentro de Veneza o transporte é feito a pé ou nos “vaporettos”, que são barcos que funcionam como transporte público. Por isso mesmo, recomendo uma mala amigável, pois não será fácil carregar muita coisa a pé ou de barco.

Outra forma de se transportar (para turistas, os moradores não usam) são as gôndolas. O passeio de gôndola custa de EUR 70 a EUR 150 por hora, dependendo da época do ano. Em baixa temporada os gondoleiros aceitam negociar o preço, mas em alta temporada, nem pensar. Este valor é para a gôndola toda, então pode baratear se tiver mais gente com você. As gôndolas também são parte da história da cidade desde o século XI.

Onde se hospedar

A hospedagem em Veneza pode sair um pouco cara. A princípio, quem decide se hospedar em Veneza propriamente dito, deve estar ciente que encontrará preços um pouco mais salgados. É mais confortável já estar dentro da parte turística e você fica dentro do clima da cidade a todo momento.

Para aqueles que preferem economizar na hospedagem, uma boa solução é procurar hostels em Mestre, parte continental de Veneza. Mestre está dentro do município de Veneza e a uma ponte de distância. Existem ônibus diretos que te deixam na Estação Santa Lucia, principal estação e inicio da cidade.

Por EUR 15 a diária, ficamos em Mestre. Não era um hostel, mas um hotel. Mesmo colocando a nível de hostel, não foi a melhor acomodação que fiquei na Europa. Por ser um hotel, era bem abaixo das expectativas. Mas por EUR 15 em Veneza em quarto duplo, acho que acabou valendo a pena pelo preço e localização. No quarteirão da frente tinha um ponto de ônibus e estávamos do lado da Via della Libertà, ponte que liga Mestre a Veneza.

O banheiro é um pouco despreparado e fica fora do quarto para uso do andar (que tinha apenas dois quartos). O quarto tinha um tamanho satisfatório, mas no meio da noite a energia caiu e ficamos sem aquecedor. Como era final de outubro, passamos um pouco de frio! Para quem quiser dar uma olhada, se chama Hotel Primavera e está na Via Orlanda, 5. Não é muito bom, mas você provavelmente vai passar o dia todo em Veneza, como foi o nosso caso e pode acabar fazendo uma boa economia.


Booking.com

Navegador, ao reservar sua hospedagem no Booking.com por este link acima, o DDN receberá uma pequena comissão. Não se preocupe, você não paga nadinha a mais por isso!

😀

O que conhecer em Veneza

Grande canal de Veneza e a Ponte di Rialto

É o maior e mais importante canal da cidade. É por ele que nos transportamos nos Vaporettos (barcos de transporte público). Ele corta a maior parte da cidade. Vai da Piazzale Roma até Basílica Santa Maria della Salute, próximo à Praça São Marcos (Piazza San Marco). São 4 km de extensão, quase 40 metros de largura e 5 metros de profundidade.

É inevitável andar por Veneza e não passar pelo canal. Procure atravessá-lo durante o dia e durante a noite. É sempre uma vista muito bonita!

Grande Canal de Veneza.

Enquanto estiver passando pelo canal, não deixe de atravessar a Ponte di Rialto. A ponte além de lindíssima, é a mais antiga que cruza o canal e foi a única por muito tempo.

Piazza San Marco (Praça de São Marcos)

É a única praça de Veneza e existe desde o século IX! É uma das parte mais bonitas de Veneza e também a que mais tem pombos, turistas e esquemas pega-turistas. 😛

Um destes esquemas é te entregar pedaços de comida para você alimentar os pombos. Quando você aceita (ou não luta contra) e pega a comida, eles ficam atrás de você incansavelmente para receberem uma gorjeta. Em um momento tive que ser bem dura para afastar o pessoal da gente. Mas isso acontece quando você chega na praça, pois ficam mais na “entrada”. Passando por este pessoal, é só curtir a vista apaixonante da cidade!

Basílica de São Marcos

Fica na Praça de São Marcos e é a mais famosa igreja de Veneza. É considerada também, um dos grandes exemplos da arquitetura bizantina. Ela possui pouco pontos de entrada de luz e um interior incrível! Por dentro, é coberta de mosaicos dourados folheados a ouro e os ponto de entrada de luz, estrategicamente colocados, fazem com que ela brilhe por dentro. No centro do altar, estão os restos mortais de São Marcos.

A primeira parte da construção do que é hoje a Basílica, se iniciou no ano 828 como Palácio Ducal. Ele tinha o objetivo de guardar as relíquias de São Marcos Evangelista que estavam em Alexandria. A construção da Basílica começou em 1071 e sofreu várias modificações durante os anos.

Confira o site oficial aqui.

Entrada gratuita. Saiba mais aqui.

Horário de funcionamento: 9:45 às 17h – Domingo: 14h às 16h

Palácio Ducal ou Palácio dos Doges

É outra construção que faz parte da região da Praça de São Marcos e fica junto a Basílica. É uma construção do estilo gótico veneziano. Era o Palácio dos Doges, antigos governantes de Veneza. Em sua construção original, era uma fortaleza do século IX. Foi só no século XIII que ele foi reformado e tomou a forma de um palácio.

Ele foi palco de várias revoltas e foi incendiado algumas vezes, passando por várias restaurações. Já serviu para realização de atividades tais como reuniões jurídicas, votações, eventos políticos, sede do governo e até prisão. Hoje, O Palácio Ducal é um museu encantador que guarda obras de arte e um pouco da história da cidade.

Você pode fazer um pequeno tour por vídeo neste site.

Preço: EUR 12.

Horário de funcionamento: 8:30h às 18:30h.

O Palácio Ducal é o prédio grande a direita.

Ponte dos Suspiros

Construída no início do século XVII, entre 1600 e 1602, está ligada nas costas do Palácio Ducal, ligando o palácio ao Prigioni Nove, o primeiro edifício no mundo construído para ser uma prisão. É uma das pontes mais famosas de Veneza e um conhecido cartão postal.

Seu nome é justificado por duas histórias. A primeira, vítima do romantismo da cidade, diz que os casais que passeavam de gôndola pela cidade deveriam se beijar debaixo dela durante o pôr do sol, gerando vários suspiros e um amor eterno. A segunda história, já com mais fundamentos, é que os prisioneiros, quando eram levados para a prisão por dentro da ponte, davam uma última olhada na paisagem e suspiravam antes de entrarem. Ao passar debaixo da ponte é possível observar algumas esculturas, algumas com caras tristes e outras zangadas.

Campanário de São Marcos (Campanile di San Marco)

Também está localizada na Praça de São Marcos. É mais um dos clássicos símbolos de Veneza. A torre tem 98,6 metros de altura e fica num canto da praça, perto da entrada da basílica. O campanário atingiu sua forma atual em 1514. A torre foi reconstruída em 1912, após o colapso da antiga torre em 1902.

A torre tem uma vista apaixonante da cidade! É facilmente vista do centro.

Preço: EUR 8

Horário de funcionamento: 9h às 21h.

Nós estamos sempre atualizados com as melhores dicas para viajar barato! Coloque seu nome e e-mail abaixo para receber gratuitamente novas publicações do Diário de Navegador em sua caixa de entrada! 😀

Não vai ficar fora dessa, né?

Basilica Santa Maria della Salute

A Basílica foi construída como um ex-voto de fiéis, ou seja, como promessas atendidas aos habitantes venezianos devotos, devido a peste que em 1630 dizimou a população. Ela foi erguida como símbolo de saúde para Veneza.

Para poder construir a basílica foi preciso cravar 1.156.650 estacas no terreno e ganhar parte da área de solo do mar.

Preço: EUR 4. Para estudantes são EUR 2.

Horário de funcionamento: 9h30 às 12h e das 15h às 17h30. As visitas à sacristia são de segunda a sábado às 10h às 12h e de 15h às 17h e no domingos de 15h às 17h.

Confira o site oficial aqui.

Basílica de São Jorge Maior (Basilica di San Giorgio Maggiore)

É uma basílica na pequena ilha de San Giorgio Maggiore, em frente à Praça de São Marcos. Sua fachada é em forma de um templo clássico, com apenas uma entrada, quatro colunas compostas sobre altos plintos e com um entablamento por cima onde se sustem um tímpano clássico.

Sua construção foi finalizada em 1576, mas a fachada só foi acabada em 1610. Nela, estão os últimos quadros do pintor Tintoretto: A Última Ceia (1592-1594), Recolha do Maná (1594) e A Deposição (1592-94). As duas primeiras encontram-se nas paredes do presbitério, e a última na capela dos mortos.

Preço: EUR 3

Horário de funcionamento: De segunda a sábado: 9h às 12:30h – 14:30h às 18:30h; Domingo: 9:30h às 10:30h – 14:30h às 18:30h.

Confira o site oficial aqui.

Murano / Burano

Este foi um passeio que não tive tempo de fazer quando estive em Veneza, certamente irei na próxima vez. É um passeio que pode ser realizado como um day trip de Veneza.

Murano é um conjunto de sete ilhas famosas por sua produção de vidro. Em Veneza, várias lojas se especializaram em vender estes vidros. A cidade se especializou deste forma quando o governo determinou que as fábricas de vidros saíssem de Veneza devido ao risco de incêndio em 1291. As ilhas foram por muito tempo as maiores produtores de vidro da Europa. Para quem quiser particpar da experiência, a New Murano Gallery, na Calle Vivarini permite que turistas acompanhem o processo de fabricação. Aproveite para visitar também as igrejas de Santa Maria, São Donato, São Pedro e o Museu do Cristal. O passeio pode ser feito em uma manhã, se você chegar bem cedo.

Exemplos de vidros de Murano
Vidros de Murano que encontramos em Veneza.

Já Burano é um pouco mais afastada e muito famosa por suas casinhas bem coloridas. A cidade, também composta de ilhas é habitada, em sua maioria, por pescadores e rendeiras. Burano já foi uma das cidades mais procuradas por suas belas rendas em vestimentas. Aqui, é fácil encontrar pratos com peixes frescos.

Casinhas coloridas de Burano.

Carnaval de Veneza

É uma das atrações mais famosas da Itália. O carnaval (Carnavale, em italiano) de Veneza enche a cidade de turistas no inverno e remonta uma tradição bem antiga. O aspecto mais marcante do carnaval é esconder quem você é por trás de uma máscara típica. É possível comprar máscaras bem baratas (cerca de EUR 5 a EUR 10) para aproveitar o dia ou investir um pouco mais em uma legítima máscara veneziana a partir de EUR 25.

Fiz uma pesquisa antes de viajar e encontrei algumas lojas que vendem as máscaras originais.Atelier Ca’ Macana é um bem famoso na cidade que vende máscaras mais simples a EUR 25 ou mais elaboradas a EUR 160. Outra loja é a famosa Tragicomica. Para as fantasias, existem duas lojas também muito famosas, o Atelier da Monica Daniele e a loja de Pietro Longhi.

As máscaras foram criadas para serem usadas no carnaval e acabaram se tornando um dos símbolos da cidade. Mesmo que você visite Veneza em outra época do ano, ainda assim encontrará as famosas máscaras a venda. A tradição começou com o intuito de esconder a identidade das pessoas, não só durante o carnaval. Qualquer pessoa que quisesse fugir das regras sociais, usavam máscaras para se esconderem. Por exemplo: as mulheres casadas a usavam para passear sem serem julgadas.

O uso foi tanto que tiveram que criar algumas leis de controle do uso das máscaras, proibindo o uso em prédios do governo e em jogos de azar. Esse uso cotidiano não existe mais, então a tradição se conteve apenas no carnaval.

Confira

Antes de ir para Veneza nessa época, confira a programação de carnaval neste site para que você possa se planejar!

Eu não estive em Veneza na época do carnaval, mas definitivamente pretendo voltar e participar de mais esta tradição!


Se você gostou desse post e quer dar uma olhadinha nele outras vezes, salve a imagem abaixo no seu painel de viagens no Pinterest! 😀

Veneza é conhecida como a terra dos apaixonados e eternizada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Descubra o que conhecer em Veneza!

 

Já esteve em Veneza? Deixe sua opinião nos comentários!

Se curtiu o post, compartilhe com seus amigos!

Lembre-se que o DDN está aberto a críticas e sugestões via Facebook, comentários e através do nosso contato direto.

Escrito por
Mais de Mar Falco

Ibitipoca: conheça este surpreendente refúgio mineiro

Você gosta de viajar para um lugar tranquilo, ficar em contato com...
Leia Mais

Compartilhe suas ideias