O que fazer em Cusco: conheça a antiga capital do Império Inca

Centro do museu.

Cusco é a cidade mais visitada do Peru e uma das mais procuradas na América do Sul. Antiga capital do Império Inca, Cusco tem atrações para os amantes de história, aventureiros e basicamente qualquer tipo de turista. Sempre ouvimos: você vai amar Cusco! Mas ainda assim tinham aquele foco em Machu Picchu – como a maioria dos turistas. Mas Cusco realmente é uma cidade especial. Então descubra o que fazer em Cusco e se apaixone pela cidade também!

Uma breve história de Cusco

Assim como nós, você vai ouvir de todos os guias a história do nome Cusco. A cidade foi nomeada Qosqo em quíchua, que significa “umbigo do mundo”. Com a chegada dos espanhóis, a cidade passou a se chamar Cusco ou Cuzco, versão espanhola do nome.

Pelas ruas de Cusco.

Cusco foi a capital do Império Inca, um império enorme que dominou desde a atual Colômbia, até a parte norte do Chile e Argentina do seu auge. Seu declínio se deu com a invasão espanhola em 1532, quando o conquistador espanhol Francisco Pizarro invadiu a cidade.

Nos anos seguintes, os espanhóis destruíram construções, templos, mataram muitos incas e transformaram Cusco. A cidade passou a ter uma soma arquitetônica que mistura estilo inca com espanhol. O resultado disso hoje, é uma cidade única e que retrata com perfeição nas suas construções o que foi a colonização espanhola.

Dança típica peruana.

Em 1650 e 1950, Cusco foi abalada por fortes terremotos. Nessas duas ocasiões marcantes, as construções dominicanas impostas pelos religiosos espanhóis foram destruídas, mas suas bases e outras construções incas resistiram perfeitamente aos abalos.

Os incas faziam suas construções com a inclinação certa para que fossem extremamente resistentes a terremotos. Sítios arqueológicos incas, como é o caso de Machu Picchu, se mantêm de pé devido a alta qualidade da engenharia inca. O que destruiu grande parte de suas construções não foi a natureza e sim a colonização.

Cusco está a 3400 metros de altitude. É um dos exemplos de cidades que causam a famosa soroche ou mal de altitude. Para nós brasileiros, a altitude pode ser um problema nos primeiros dias. Mas nada que algumas folhas de coca não ajudem.

Saiba mais: Seguro viagem – vale a pena contratar?

O que fazer em Cusco

Praça de Armas

Dica para a vida: sempre que chegar em alguma cidade que foi colônia espanhola, procure pela Praça de Armas. É uma parte da cultura espanhola que está presente nos suas ex-colônias, como é o caso do Peru. Na Praça de Armas sempre tem uma igreja (quase sempre a matriz), alguma sede política – alô prefeitura! – e costumam ser o centro histórico e turístico da cidade. Ali perto você encontra restaurantes, hospedagens, casas de câmbio e o que mais quiser.

Cusco não é diferente. A Praça de Armas (ou Plaza Mayor del Cusco) é o point principal da cidade e quase tudo gira por ali. Quer uma boate? Um bom restaurante? Aquele hotel espetacular? Lojas de todos os tipos? Informações turísticas? Bares? Agências? Então corre pra Praça de Armas.

Um dos nosso programas favoritos em Cusco era andar até a praça e ir seguindo o fluxo de pessoas. A cidade é super charmosa, a praça é muito bem cuidada, tem eventuais feirinhas e você acaba trombando em um bom restaurante ou na pior das hipóteses, tem uma caminhadinha agradável pelo centro histórico.

Um pouco de história sobre a praça

Na época em que Cusco era a capital do Império Inca, a praça se chamava Huacaypata (Praça dos Guerreiros). De acordo com o nosso guia do Free Walking Tour, a praça era bem maior. Hoje temos duas praças na região: a Praça de Armas e a Plaza Regocijo. Mas na época dos Incas, elas eram uma praça só. Foi com a chegada do espanhóis que tudo mudou. Eles quebraram as construções Incas e separaram as praças, criando a clássica Praça de Armas espanhola.

O fato mais marcante da Praça de Armas, foi a execução do líder Inca Túpac Amaru II. Ele foi o responsável pela resistência e rebelião inca sobre a colonização espanhola em 1780. Sua execução foi extremamente violenta. Eles assassinaram sua mulher e filhos na frente dele primeiro e depois o amarraram pelos membros e puxaram para que todo o corpo se partisse.

De acordo com o nosso guia, o corpo dele não se partiu como pretendiam os espanhóis, então o desamarraram e cortaram seus membros. A ideia era desfilar com os pedaços do líder por Cusco como um sinal de força e domínio.

Hoje, o centro da praça conta com uma linda e orgulhosa estátua de Túpac Amaru bem no centro, junto a fonte. Na verdade, existem várias estátuas, ruas, praças escolas, etc nomeadas em homenagem ao líder inca.

Saiba mais: EasySim4U: conheça a melhor forma de ter internet no exterior.

Catedral de Cusco

Na Praça de Armas, está a Catedral de Cusco. Na verdade, existem duas grandes igrejas na praça. A Catedral é a igreja que está na rua Portal del Carnes. A Catedral possui várias pinturas religiosas e um interior bem bonito. Ela foi construída em estilo gótico, renascentista e barroco e foi inaugurada em agosto de 1649.

Torre da Catedral de Cusco.

Horário de funcionamento: segunda a domingo das 10:00 às 18:00 horas

Preço: 25 soles para adultos e 12,50 soles para estudantes.

Mas aqui vai a boa notícia: ela funciona antes das 10 horas da manhã em horário de missa. Nesse horário, a entrada é gratuita! Só se lembre de ser bem respeitoso, pois os fiéis estão ali para a celebração religiosa.

Pedra dos 12 ângulos (Rua Hatunrumiyoc)

Antes de começar a falar da pedra, vou deixar uma recomendação: faça um free walking tour! É sempre bom ter uma pessoa entendida te contando histórias e fatos importantes da cidade. São os guias também que vão te contar as curiosidades, como é o caso dessa pedra. Nós fizemos o tour com a equipe do Wild Free Walking Tour Cusco e recomendo. Eles se encontram diariamente às 10h, 12h e 15h na Plazoleta Espinar, uma pequena praça próximo à Praça de Armas.

A pedra dos 12 ângulos está na Rua Hatunrumiyoc, perto da Praça de Armas. É uma das atrações mais famosas de Cusco justamente por representar muito bem a complexidade da arquitetura inca. Nesta rua, você vai ver um muro nitidamente inca e é esta a atração. Mas olhe bem, porque ela vai te surpreender.

Muro inca.

Os historiadores acreditam que o muro fazia parte de um Palácio que também foi destruído pelos espanhóis. As pedras usadas nesse muro são chamadas de diorito verde, um tipo de pedra bem duro e pesado. As pedras estão tão perfeitamente encaixadas, que te deixa abismado.

São pedras grandes, muito bem polidas, extremamente bem encaixadas e surpreendentes. Os incas encaixavam as pedras como se fossem peças de lego. Eles moldavam uma pedra com um buraco e a outra com uma ponta e então elas se encaixavam sem a necessidade de qualquer tipo de massa para fixar.

A famosa pedra de 12 ângulos, é uma pedra que possui 12 lados perfeitamente cortados e lixados com precisão e encaixada com perfeição no muro. Mas todo o conjunto da obra é um sucesso, não só a pedra de 12 lados.

Pedra de 12 ângulos.

Virando a esquina, na Rua Choqechaka, você vai ver a continuação do muro e lá uma surpresinha. Tem uma parte do muro, onde é possível ver uma cobra e uma puma nos formatos das pedras. Eles remetem a cultura inca, que acredita nos simbolismos do condor, cobra e puma. Inclusive, Cusco tem o formato de uma puma!

As lojas que ficam em frente ao muro te dão uma mãozinha para enxergar os animais na pedra.

Coricancha (Convento de Santo Domingo)

Em quéchua, significa recinto do sol, ou templo dourado. O convento é uma construção espanhola de 1534 que foi construída onde estava uma construção inca chamada de Inti Cancha, ou campos do sol, onde ficava o Templo do Sol. Por isso o nome de Coricancha dado hoje em dia. Foi mais uma forma dos espanhóis afirmarem seu domínio sobre a cultura e vida inca.

O Templo do Sol havia sido construído pelo líder Inca Pachacuti ou Pachacutec, em espanhol, um dos principais nomes que você vai ouvir nas histórias de Cusco. Foi ele inclusive, o imperador que criou Machu Picchu.

O convento  e a igreja foram uma construção dominicana e foi uma grande imposição religiosa para o povo inca. Ela gastou mais de 100 anos para ser concluída e, como muitas outras construções em Cusco, manteve sua base de pedras incas, dado a resistência das construções que eles faziam.

Horário de funcionamento: segunda a sábado das 8:30 às 17:00 e domingos e feriados das 14:00 às 17:00.

Preço: 10 soles para adultos e 3 soles para estudantes.

Saiba mais: Onde se hospedar em Cusco.

Choco Museu

Para quem não sabe, o Peru tem uma incrível produção de cacau. Inclusive, o chocolate peruano já foi eleito o melhor do mundo. Por isso, você vai ver nas cidades peruanas essa linha de museus do chocolate. Existem mais de um museus por cidade. Em Cusco, por exemplo, vi um museu na Rua Choqechaka, em frente ao muro inca e um museu na Calle Garcilaso.

Recomendo que você tire um tempinho para conhecer pelo menos um Choco Museu. Primeiro porque eles te deixam provar diferentes amostras de chocolate, licores, shampoos de chocolate, etc. Segundo, porque são muitos bons e vale a pena experimentar. Se você fizer o free walking tour com o Wild Free Walking Tour Cusco, você ainda ganha um cupom de desconto para qualquer produto.

Museu Inka

Bem perto da Praça de Armas está um dos vários museus de Cusco. O prédio onde fica o museu foi construído em 1643 usando pedras incas na sua fundação. Sua última restauração foi em 1950, pela Universidad Nacional de San Antonio Abad del Cusco.

O museu não está incluído no Boleto Turístico de Cusco, por isso coloquei apenas essa opção de museu, mas na verdade Cusco tem vários outros museus interessantes. Aqui uma listinha explicativa para você saber um pouco mais sobre eles.

O museu é formado por salas com vasos, cerâmicas e um pouco da história peruana. Apesar de se chamar Museu Inka, a história contada pelo museu começa séculos antes da formação do Império Inca até a conquista espanhola. Lembrando que não é permitido tirar fotos das salas.

Sinceramente não recomendo o museu para todo mundo. O Nic, por exemplo, não quis ir. O museu é um pouco precário, as descrições que deveriam estar em inglês e espanhol em alguns momentos simplesmente não colocavam inglês (não é um problema grande para brasileiros, mas mostra um problema na estrutura do museu).

Vista do museu para o centro histórico.

Se você comprou o Boleto Turístico e já vai em outros museus, talvez não valha a pena gastar com o Museu Inka. Se você não pretende comprar o Boleto, pode ser uma boa, pois é bem legal ver a evolução histórica do país. Só vá sabendo que não é um super museu.

Você pode comprar artesanato dentro do museu. Inclusive, pode assistir como são feitos – bem informal, não faz parte da atração.

Horário de Funcionamento: segunda a sexta: 08:00 às 18:00 horas.Sábados e feriados: 09:00 às 16:00 horas.

Preço: 10 soles para adultos. A meia entrada é apenas para estudantes até 12 anos.

Você encontra com a gente sempre as melhores dicas sobre nômades digitais e sobre viajar barato! Coloque seu nome e e-mail abaixo para receber gratuitamente novas publicações do Diário de Navegador em sua caixa de entrada! 😀

Não vai ficar fora de dessa, né?

Mercado Central de San Pedro

Amamos mercados. E depois de passar vários dias aprendendo sobre a comida peruana em Lima, queríamos muito ter esse contato em Cusco. O Mercado Central de San Pedro também fica perto de tudo e vale muito a pena o seu tempo. Foi onde compramos souvenirs baratos – 5 soles um copinho de shot, por exemplo.

Além disso, o mercado tem várias barraquinhas de frutas, verduras, carnes, e lanches. É um “costume” peruano os vendedores te abordarem de forma insistente e incansável. E no mercado não foi diferente. Paramos perto de umas barraquinhas de sucos por segundos para tirar algumas fotos (estávamos de costas para elas) e foi quase impossível tirar a foto com o tanto de gente tentando entregar cardápios e nos cutucando e chamando para sentar. Mas fora da área dos sucos, não fomos mais abordados dessa maneira. Com certeza porque no resto do mercado tem poucos turistas.

O que achei interessante no mercado é que ele não tem cara de “turistão”. Vi alguns mercados e vendas em Lima bem bagunçados, então a princípio achei que o mercado de Cusco estava organizado para receber turistas. Mas vi muito mais peruanos passeando e comprando que turistas. Ponto positivo para o mercado!

Para quem quer uma experiência mais autêntica e menos turísticas, caminhe nas redondezas do mercado no sentido contrário à Praça de Armas. Você vai ver a diferença imediatamente. Inclusive mais mercados sem turistas. Recomendo que você saia da zona turística para conhecer o verdadeiro Peru. São duas imagens diferentes que você vai ter de um mesmo povo.

Saqsaywaman

Para quem está com um tempinho, recomendo muito esse passeio. Saqsaywaman é uma colina que você consegue ver claramente do centro. Na teoria de que Cusco tem o formato de uma puma, um dos animais da mitologia inca, ela é a cabeça do animal. Ela está razoavelmente perto do centro, pois ainda é parte da cidade. Dá para chegar de táxi ou ônibus.

O ônibus tem um desenho de um Cristo Redentor branco nas laterais e custa menos de 2 soles. O único ponto que sei com certeza que o ônibus para é na Calle Nueva, na esquina do Centro Comercial Paraiso, atrás do Mercado Central de San Pedro. Mas basta perguntar qualquer um na rua que vão saber te informar.

Além de ter uma vista impressionante de Cusco, Saqsaywaman é um parque arqueológico que  possui ruínas incas gigantes com pedras de mais de 3 metros pesando toneladas. Durante o Império Inca, Saqsaywaman era como uma base militar, com espaço para mais de 5 mil soldados. Hoje me dia, restam apenas três fileiras de muralhas.

Saqsaywaman é um dos mistérios da engenharia inca. Ainda não existem explicações (apenas especulações) sobre como os incas conseguiram levar as pedras até a colina e construir suas fortalezas com pedras tão pesadas e grandes sem a ajuda de maquinários. E é realmente impressionante. Especialmente depois de reparar como os peruanos são pequenos. Imagine os incas. Como conseguiram? Nesse ponto começa a fazer sentido a teoria de que foram feitos por alienígenas rs. Até a National Geografic incluiu Saqsaywaman na lista de sítios que algumas pessoas pensam que foi construída por extraterrestres.

Onde se hospedar em Cusco

Por ser uma cidade extremamente turística, não faltam hospedagens em Cusco. Aqui, tudo vai depender do seu estilo, de quanto quer gastar e do tempo que vai ficar.

Nós tivemos uma experiência super positiva em Cusco em um dos melhores (talvez o melhor) hostel que já ficamos em nossas viagens. Vou explicar resumidamente o porquê: preço, limpeza, staff simpático e educado, boa (e barata) comida, boa localização. Essa é soma que a gente quer ter na hora de escolher uma hospedagem. O Wild Rover tem essa soma.

Vou falar pra você, fizemos uma parceria de divulgação com o Wild Rover. Mas estamos indicando porque adoramos mesmo. E vou fazer um post explicando direitinho porque você pode colocar o hostel no topo da sua lista!

Onde comer em Cusco

Comer bem no Peru não é tarefa difícil. A comida peruana é um atrativo do país e para a nossa alegria, não é cara. É possível comer bem e barato no Peru, mesmo em Cusco, uma cidade tão turística.

O centro histórico, como era de se esperar, tem várias boas opções de restaurante, mas saiba que não vão ser as mais baratas. Para quem quer comer bem e não está tão preocupado com o preço – não quero dizer gastar muito -, o centro histórico, especialmente perto da Praça de Armas, vai ser a sua principal opção.

Comemos por ali umas duas vezes e tenho inclusive uma boa recomendação de restaurante. Não é um restaurante de comida peruana e sim um restaurante de comida italiana, com pizzas bem saborosas. O restaurante se chama La Bodega 138 e fica a dois quarteirões da Praça de Armas.

O ambiente é extremamente agradável e o atendimento foi o melhor que recebemos – pela nossa experiência, o Peru não é muito bom de atendimento. Nós comemos uma pizza de massa fina deliciosa e bebemos sucos naturais por 25 soles pra cada. Achei um preço excelente!

Bom e barato

Para quem está muito preocupado com o preço, tenho também outra ótima sugestão! Nós fomos (mais de uma vez, devo dizer) em um restaurante também focado em massas um pouco mais afastado da Praça de Armas. Ele se chama Mountain Pizza e fica na rua Quera, 275.

Eles tem um prato que são três opções de macarrão (serve duas pessoas, apesar de falarem que serve só uma) por 12 soles!!!

Nós ainda pedimos dois copos de suco de laranja (que são enormes) por mais 5 soles cada. No total pagamos 22 soles para duas pessoas comerem muito. O restaurante simplesmente não existe no Google, mas pode acreditar que ele está lá!

Outra opção que adoramos e foi a que mais frequentamos por ter o melhor custo x benefício, foi comer no próprio hostel. O Wild Rover tem um pub irlandês dentro dele com pratos grandes, deliciosos e extremamente acessíveis.

A média de pratos gira em torno dos 16 soles. Confesso que só conseguia terminar o sanduíche, mas os pratos mesmo, eram muito grandes pra mim. Dependendo da sua situação, dá pra dividir um prato e fica ainda mais em conta!

Onde trocar dinheiro em Cusco

O centro histórico é o melhor lugar para trocar dinheiro, pois é onde estão a maioria das casas de câmbio. Em Lima, vimos muitas pessoas (que são cadastradas para trocar dinheiro) trocando nas ruas. Em Cusco, quase não vimos isso. Então recomendo que você troque em casa de câmbio mesmo. Acaba sendo muito fácil receber dinheiro falso trocando nas ruas.

Vou deixar aqui uma recomendação de casa de câmbio que teve um bom preço e não tinha taxas escondidas – conhecemos algumas assim. Ela fica na Praça de Armas, então facilita bem a sua vida. Ela fica bem na esquina da rua Portal de Confituria com a rua Del Medio. Não tem erro.

Fachada da casa de câmbio.

Principais daytrips a partir de Cusco

Além de ser uma cidade muito interessante para conhecer, Cusco ainda soma vários daytrips, os famosos passeios bate e volta. A região ao redor de Cusco é cheia de construções incas, montanhas famosas e atrações turísticas. Na hora de montar o seu roteiro, pesquise bem sobre cada uma e planeje a sua ida àquelas que mais te interessaram!

Vamos falar sobre estes destinos em um post específico para cada um. Por enquanto, segue a lista dos principais passeios a partir de Cusco:

  • Machu Picchu
  • Humantay
  • Salkantay
  • Vale Sagrado dos Incas
  • Montanha Colorida (Rainbow Mountain)
  • Mara, Marouy e Salineiras de quadriciclo

Se você gostou desse post e quer dar uma olhadinha nele outras vezes, salva a imagem abaixo no seu painel de viagens no Pinterest! 😀

Cusco tem atrações para os amantes de história e para os aventureiros. Então descubra o que fazer em Cusco e se apaixone pela cidade também!

Lembre-se que o DDN está aberto a críticas e sugestões via Facebook, comentários e através do nosso contato direto.

Escrito por
Mais de Mar Falco

Saiba como economizar na sua viagem para a Espanha

Por estar na zona do Euro, a Espanha acaba sendo um país...
Leia Mais

Compartilhe suas ideias