Tudo que você precisa saber antes de visitar Paris

Informação nunca é demais! Especialmente quando estamos fora do Brasil ou chegamos em um destino pela primeira vez. Pensando nisso, resolvemos preparar um pequeno guia de informações úteis sobre tudo que você precisa saber antes de visitar Paris!

Informações gerais

Bom, imagino que Paris dispense apresentações. Mas para cobrir as informações básicas que você precisa saber (ou pelo menos ajudaria se soubesse) antes de se aventurar pela cidade, seguem alguns dados importantes que podem te ajudar a se organizar para a viagem:

  • Paris está entre as três cidades mais visitadas do mundo.
  • A moeda é o Euro. Importante: não leve reais ou dólares, eles só aceitam euros e você pode perder dinheiro convertendo duas vezes. Clique aqui para saber como levar dinheiro para o exterior.
  • A voltagem de toda a França é 230v. Então cuidado com aparelhos que não são bivolts.
  • O fuso horário da França é o fuso horário da Europa Ocidental (UTC+01:00). Isso quer dizer que, sem contar com horário de verão aqui ou lá, eles estão sempre 4 horas a frente do horário de Brasília (UTC -03:00).
  • Como ligar para o Brasil: 00 + o código do país + o código da cidade + número do telefone. É uma opção cara, então tente usar mais outras formas, como o whatsapp ou contratando um serviço de internet. Sai mais barato e ainda te permite usar internet para várias outras coisas.
  • Modelo de tomada: dois pinos com o fio terra já implantado na parede e não no aparelho. O plug dos aparelhos brasileiros são mais finos que os dos aparelhos da França, mas ainda assim se encaixam bem. Analise bem os seus eletrônicos, secador de cabelo, etc e veja se não é o caso de levar um adaptador (ou comprar um daqueles adaptadores universais e já ficar garantido para qualquer lugar). Claro que dá para comprar um adaptador lá, mas imagino que você não vai querer perder tempo com isso, então vá preparado.

Saiba mais: 11 itens que não podem faltar na mochila de um viajante.

Qual a melhor época para visitar Paris?

A melhor resposta para essa pergunta é: Paris não tem época! Primavera, verão, outono ou inverno são maravilhosos na cidade.

O verão é bem cheio de turistas, inclusive franceses. É a época que os europeus e o restante do hemisfério norte tiram para viajar, já que as outras épocas do ano são menos favoráveis pelo clima e também porque o verão é a época de férias. A cidade fica mais viva, os dias são mais longos e a França fica muito quente.

O outono tem duas fases: a primeira onde a cidade está com linda folhas amarelas e avermelhadas, meio quente e meio frio, e ainda muito cheia. A segunda, já quase sem folhas, começa a ficar mais frio e mais romântico. Devo dizer que a cidade ainda vai estar cheia.

Já o inverno, é a baixa temporada de Paris. É frio, úmido, dias curtos e bem menos turistas. Mas é uma das épocas mais românticas da cidade. Parisienses extremamente bem vestidos pelas ruas, cafés com mesas disponíveis, bem menos fila para qualquer atração, passeios com folga pelo Rio Sena… simplesmente apaixonante. É a época que mais percebemos a vida dos reais parisienses.

Por fim, a primavera surge super florida e cheia de turistas novamente. É muito parecida com o verão, apesar de não ser tão quente. É, sem dúvidas, uma ótima época para se visitar Versalhes, por exemplo.

Todo dia é dia de Paris! Mas deixo aqui uma ressalva: cuidado com o mês de agosto. Por ser o mês de férias de quase todo mundo (isso serve para a Europa em geral), muitas lojas, restaurantes, galerias e até atrações fecham. Não quer dizer que você vai perder o seu tempo, mas se tiver como escolher bem, evite agosto.

Como os franceses se comportam?

Não é muito segredo que os franceses são mais quietos. E realmente é verdade.

Eu, por exemplo, sou uma pessoa que fala alto e fui morar na Itália. Em pouco tempo, eu já falava e gesticulava no estilo italiano. O Nic, por outro lado, não tem esse jeitinho alto de falar e foi para a França. A primeira vez que ele foi me visitar na Itália foi até engraçado. Eu andava pelas ruas falando e apontando várias coisas pra ele, sem nem prestar atenção no meu tom de voz. Os italianos também não prestavam. O Nic ficava sempre me pedindo para falar baixo e apontar menos, pois era rude e as pessoas poderiam ficar olhando. Na hora vi que ele estava afrancesado, mais reservado em público! rs

O outro lado

Por outro lado, quando estive em Paris com ele, eu era sempre a pessoa que falava mais alto no metrô, que recebia olhares curiosos e era sempre notada. Eu estava italianada! Minha certeza veio quando estávamos no metrô e ouvi uns rapazes rindo muito alto e contando casos sem se preocupar com as outras pessoas. Todo mundo estava olhando em silêncio, inclusive o Nic. Quando percebi, fui reparar também e, olha só, eram italianos!

Não sou o tipo de pessoa que vai te dizer para ser menos você em uma viagem. Mas se quiser se misturar na multidão, vai ter que desbrasilizar um pouco também. Somos “demais” para os franceses. Não é uma coisa ruim, é claro. Não quer dizer que eles necessariamente desgostam. Estou apenas apontando diferenças culturais. Os franceses usam um tom de voz mais baixo, fazem mais contato visual, não costumam abraçar qualquer conhecido, adoram vestimentas estilosas e não gostam de chamar a atenção das pessoas. Esse é, claro, um estereótipo. Nem todos os franceses são assim. Assim como nem todo brasileiro fala alto, gosta de carnaval e já esteve na praia.

Saiba também que, além de reservados em público e aparentemente um pouco mais “distantes”, os franceses (ainda mais os parisienses), são fãs de uma etiqueta. Na hora de comer, na hora de cumprimentar, de agradecer, de despedir… eles são muito educados. Então se não quiser “fazer feio” perante aos olhos franceses, faça o possível para seguir os padrões de educação deles. Diga “bonjour” e “au revoir” para os atendentes, agradeça com um “merci” e já será mais educado que muitos turistas. Não se esqueça que você está na cidade deles, vivendo da cultura, da gastronomia e do estilo de vida deles. Vale a pena se esforçar um pouquinho. 🙂

Aprenda o mínimo de Francês

É uma sugestão válida para qualquer país, mas o destaque maior é para a França mesmo. França e Inglaterra já foram rivais em muitas coisas em diversos períodos da história. O mundo hoje fala inglês. Os turistas falam inglês. As pessoas querem aprender inglês. Tenho a impressão que os franceses são meio putos com isso… Se você chegar para um francês e ir de cara falando o que quer em inglês, é possível que ele nem te responda.

O Nic, inclusive, passou por uma situação engraçada com o idioma quando chegou na França! A Babbel Magazine publicou a sua história. Clique aqui para ler!

O francês

Claro que os franceses são muito sensatos. Os franceses sabem que poucos turistas falam francês e eles não estão esperando que você seja fluente. Mas pedir uma informação falando “excusez-moi, je ne parle pas français” (com licença, eu não falo francês) e depois começar a sua frase em inglês, vai mudar completamente o tratamento que você irá receber. Vamos deixar aqui algumas frases importantes que vão deixar os franceses bem mais receptivos a você:

Olá – bonjour (bomjur)
Tudo bem? – ça va bien? (sá vá biã)
Eu não falo francês – je ne parle pas français (jê ne parle pá francê)
Você fala inglês – parlez-vous anglais? (parlêvú anglé)
Onde fica a/o…? – où est la/le (ú é la/le)
Por favor – s’il vous plaît (sí vú plê)
Obrigado(a) – merci (mêrci)
De nada – de rien (dê riã)
Tchau/Até mais – au revoir (ô revuá)

Para te ajudar ainda mais, procure aplicativos de celular que fazem tradução, assim você não ficará inseguro em memorizar as frases ou a pronúncia!

Saiba como ter internet móvel no exterior!

Nós estamos sempre atualizados com as melhores dicas para viajar barato! Coloque seu nome e e-mail abaixo para receber gratuitamente novas publicações do Diário de Navegador em sua caixa de entrada! 😀

Não vai ficar fora dessa, né?

Cuidado com os golpes “pega–turista”

O mundo inteiro tem alguns “golpes” contra turistas. É uma forma de se aproveitar de pessoas distraídas, normalmente com dinheiro, sem pressa e que não conhecem o costume local e/ou não falam o idioma. Não pense que não acontece com qualquer um, pois acontece sim! Graças a maravilhosa rede de viajantes que adoram compartilhar experiências de viagens (sim, nossos amados blogs!), muitos desses golpes ficam conhecidos e com isso, mais fáceis de serem evitados.

Paris não é diferente. É uma cidade grande, cheia de turistas, onde poucos falam o idioma. Assim como Roma, Barcelona e Milão, é um prato cheio. Para te ajudar a evitar esse desagrado, listamos alguns dos mais famosos golpes:

As falsas surdas-mudas

Estão sempre nos pontos onde tem mais turistas. Normalmente são meninas (muitas vezes menores de idade), brancas e com um estilo de ciganas, que se aproximam rudemente com uma prancheta pedindo assinatura para um formulário de uma suposta instituição de caridade. É um golpe ainda muito comum, pois as pessoas não entendem de primeira o que está acontecendo. Elas usam dessa distração para roubarem carteiras, celulares e ainda acabam pegando assinaturas e sabe-se lá mais o quê. Evite qualquer tipo de contato com elas e preste bastante atenção nos seus pertences. Não tenha medo de ficar “feio” com a mochila virada para frente. As vezes também é preciso ser duro com elas para se afastarem.

Golpe do anel de ouro

Muito comum perto da Torre Eiffel e do Louvre. A pessoa te para e diz que achou um anel de ouro no chão e pergunta se é seu. Você naturalmente para e olha se é e logo diz que não. A pessoa, fingindo ser gentil, te dá o anel de presente. Você fica agradecido e ela te pede uma pequena retribuição pelo presente.

Nesse meio tempo, você pode ter perdido a carteira sem ver ou vai pagar uma retribuição em um anel que na verdade custa EUR 1. Eles andam com os bolsos cheios desses falsos anéis de ouro. Basta dizer que não quer e ir embora. Seja duro se insistirem e fique sempre atento aos seus pertences.

Vendedores de fitas

Igualmente falsos, são os vendedores de fitas ou pulseiras que ficam perto da basílica Sacre Coeur. Normalmente são homens e te abordam muito simpaticamente. Já vi em muitos casos de golpes pessoas que tentam falar ou falam português, ficando ainda mais “simpáticos”, já que brasileiro adora encontrar quem fala português. Vão puxar papo com você e gentilmente te pedir para estender o braço. Então, sem o seu consentimento, enrolam uma fita no seu braço como se fosse uma pulseira. O golpe aqui é que pedem dinheiro por esse “serviço prestado” e são bem agressivos quando você nega. A propósito, não consideram moedinhas como pagamento. Às vezes surgem até outros para aumentar a pressão. Mais uma vez, cuidado com os seus pertences.

Se alguém te abordar apenas diga não, não mostre o braço e saia de perto. A verdade é que você (provavelmente) não conhece ninguém em Paris, então não atenda chamados na rua. É a melhor forma de evitar cair em algum desses golpes. O mesmo serve para jogos de rua, outro golpe conhecido onde você faz parte de um jogo “comprado” apostando dinheiro. Simplesmente não aposte.

Furtos: os famosos batedores de carteiras

Além das falsas surdas-mudas, existem outras pessoas que “batem carteiras” dos turistas, os famosos pickpockets. Eles se aproveitam justamente da sua distração para furtar algo da sua mala, bolsa, mochila ou bolso. Muito cuidado e muita atenção! Para evitar esse tipo de furto, procure andar com mochilas ou bolsas que tem zíper e que sejam um pouco mais difíceis de serem abertas sem você perceber. Outra boa ideia são as famosas doleiras: pequenas bolsas de se usar dentro da calça. Aquelas bolsas no estilo “sacola” que são abertas ou fecham só com um fechinho pequeno, são mais fáceis de serem furtadas sem você ver.

Não é só perto de atrações movimentadas que você deve tomar cuidado. É o tempo todo. No metrô, no restaurante, dentro do Louvre… Quando estamos fora do país nossa atenção tem que ser redobrada, pois ninguém quer acabar sem dinheiro, cartão e documentos no meio de uma viagem.

Acontecem também os furtos de malas nas estações. O objetivo aqui é te distrair, seja pedindo informação ou mostrando um mapa, enquanto uma segunda pessoa pega uma mala sua sem que você veja. Para evitar isso, esteja sempre com a sua bagagem toda em seu campo de visão. Se você está viajando acompanhado, um dá a dica enquanto o outro cuida das malas. Se você está viajando sozinho, segure suas malas ou mantenha-as a vista enquanto ajuda alguém. Até porque nem todo mundo que te pede ajuda quer te roubar! Mas todo cuidado é pouco.


Dica:

Uma dica geral de viagem é evitar deixar celulares ou bolsas em mesas sem prestar atenção. Evite levar grandes quantidades de dinheiro com você e procure fazer uma cópia dos seus documentos. Ajuda muito caso você os perca.

Não é para ficar assuntado e sim preparado! Um pouquinho de atenção e sua viagem vai ser bem tranquila, como a nossa foi. 🙂

Em caso de emergências, como perder o passaporte por exemplo, procure o consulado brasileiro em Paris:

Consulado Brasileiro em Paris
34, cours Albert 1er – 75008 Paris
Telefone : 01 45 61 63 00 / Fax : 01 42 89 03 45
www.bresil.org
ambassade@bresil.org

Saiba mais:

Como funciona o Paris Pass: vale a pena comprar?
Saiba como economizar em Paris

Paris: como chegar e sair dos aeroportos Beauvais, Orly e Charles de Gaulle
Saiba onde comer barato em Paris
Conheça os melhores macarons de Paris
Guarda volumes: onde deixar sua mala em Paris?
Cadeados da Pont des Arts em Paris serão leiloados
21 lugares inesquecíveis de Paris – Parte 1
21 lugares inesquecíveis de Paris – Parte 2
7 motivos para visitar Paris
Saiba onde se hospedar em Paris


Se você gostou desse post e quer dar uma olhadinha nele outras vezes, salve a imagem abaixo no seu painel de viagens no Pinterest! 😀

Informação nunca é demais quando chegamos em um destino. Por isso, preparamos um guia sobre tudo que você precisa saber antes de visitar Paris!

 

E aí, curtiu? Compartilhe sua experiência!

Lembre-se que o DDN está aberto a críticas e sugestões via Facebook, comentários e através do nosso contato direto.

Compartilhe suas ideias