Saiba como trocar dinheiro no Leste Europeu

Me deparei com essa dúvida quando me preparava para embarcar para o Leste. Ouvi muitas dicas dos meus amigos e histórias de famosos “pega-turistas” na hora de trocar dinheiro no Leste Europeu. Me atentei bastante às dicas e não tive nenhum problema com conversão enganosa ou moedas falsas nos três países que visitei (Polônia, República Tcheca e Hungria). Para facilitar a sua viagem, fiz um apanhado de dicas sobre como trocar dinheiro no Leste Europeu!

Saiba mais: Como montar um roteiro pelo Leste Europeu.

Golpes na conversão de moeda e como evitá-los

O que mais acontece na hora de trocar euros pela moeda local, são as famosas taxas embutidas que funcionários das casas de câmbio escondem da gente. Na República Tcheca, por exemplo, uma cotação muito boa, seria 1 euro valendo umas 25 coroas tchecas.

Quando você pergunta para o funcionário qual é a cotação, ele te responde “25 coroas tchecas” e você, todo feliz, troca. Quando ele te entrega o dinheiro e você vai contar, percebe que tem menos que deveria. Ele então diz “são as taxas”. Uma vez que você já pegou o dinheiro e entregou os euros, ele não aceita mais devolver. 

Evite

Para evitar que isso aconteça, existem algumas coisas simples que você pode fazer. A primeira delas, é o jeito de perguntar a cotação. Tente perguntar sempre: “se eu te der X euros, quantas coroas tchecas você me dá”? Desta forma, fica mais difícil esconder taxas. Se quiser, ainda pergunte “incluindo qualquer taxa”.

Charles Bridge, em Praga – República Tcheca.

Saiba mais: Qual o melhor seguro viagem para mochileiros e viajantes?

Outra dica que ajuda bastante é usar a calculadora para escrever o número. Muitos desses funcionários fazem um sotaque difícil de propósito e fingem não entender direito o número que você disse. Pode ser anotado em um papel depois, mas não gosto de dar a chance de uma letra propositalmente feia me enganar na conversão, por isso prefiro na calculadora.

Peça para ele digitar na calculadora antes de aceitar a cotação oferecida. “Twenty seven”, uma cotação maravilhosa, pode ser, na verdade, 20,07 (cerca de 5 coroas a menos que o ideal), dependendo da má vontade dele. Ouvi essa história de uma conhecida que morou em Praga.

Atenção aos anúncios!

Fique atento também aos anúncios que as casas de câmbio fazem. As vezes oferecem uma cotação muito boa já com taxas e na hora de converter dá errado. Muitas vezes, eles divulgam esses valores para quem vai trocar muitos euros de uma vez, por exemplo acima de 1000 euros. Menos que isso, você pega outra cotação.

o que visitar em Peste
Chain Bridge, em Budapeste – Hungria.

Conheça: 10 coisas para fazer em Praga de graça.

Por fim, fique atento às notas falsas! Claro que é muito difícil identificar se é verdadeira, mas o grande golpe não é vender notas falsas propriamente ditas e sim moedas de outros países. Mais uma vez, seguindo o exemplo que você está na República Tcheca, cuidado para não comprar uma moeda achando que são coroas tchecas, mas na verdade são forints (ou florim, em português), moeda húngara com cotação bem inferior. Para evitar que isso acontece, leia o nome que vem escrito nas notas e moedas!

Trocar dinheiro na rua?

Além disso, não troque dinheiro na rua. Esses golpes são muito mais comuns na rua que nas casas de câmbio. Confira tudo antes de sair da casa de câmbio e tenha certeza que está no valor que você concordou.

Troque aos poucos, se for preciso troque todos os dias ou mais de uma vez por dia. Não vale e pena trocar muito de uma vez, pois se você acabar sua viagem e sobrar com dinheiro, ele não vai valer quase nada. Trocando de volta para euros, além de você pagar taxas duas vezes, não vai dar muita coisa e se for bem pouco mesmo, as casas de câmbio nem trocam. Sobrar com uma ou outra nota ou moeda é até legal, que fica de souvenir depois. Mas evite sobrar com mais que um souvenir!

Centro Histórico Cracóvia em 4 dias
Centro Histórico de Cracóvia, Polônia.

Conheça a melhor forma de ter internet móvel no exterior.

Trocar um pouco no aeroporto ou estação de trem, pode ser uma boa para você não ficar sem dinheiro para pegar um metro ou lanchar, por exemplo. Mas evite trocar mais que uns trocadinhos. É um lugar mais seguro para trocar dinheiro, mas a cotação deles é bem ruim. E seguindo essas dicas, acredito que você não terá nenhum problema, assim como eu não tive!

Cartão para saque

Uma ideia que sempre vejo dizerem ser muito ruim, mas que não achei tão mal assim, é sacar do seu cartão pré pago. Nos três países saquei um pouco e não peguei uma conversão tão ruim como diziam. É infinitamente mais seguro, pois está sacando direto com o banco, mas realmente vale a pena ficar atento a conversão antes.

Ter um cartão pré pago (VTM, MultiMoedas…) me ajudou demais, pois no final da viagem tentei usar mais o cartão como débito que dinheiro em espécie, então terminei a viagem com poucas moedinha para guardar de recordação!

Não conhece o cartão pré pago? Então confira o post como levar dinheiro para o exterior!

Como trocar dinheiro no leste europeu

Nós estamos sempre atualizados com as melhores dicas para viajar barato! Coloque seu nome e e-mail abaixo para receber gratuitamente novas publicações do Diário de Navegador em sua caixa de entrada! 😀

Não vai ficar fora dessa, né? 😉

Onde troquei dinheiro durante a minha viagem

Polônia

Em Varsóvia, troquei dinheiro em uma casa de câmbio que ficava dentro da estação de metrô Centrum, perto do meu hostel. Pelo que pude ver, são casa de câmbio confiáveis e é comum trocar dinheiro no metrô.

Saiba mais sobre a viagem de Varsóvia aqui.

Já em Cracóvia, troquei no centro histórico mesmo, na rua Floriańska. Sempre pensei que o centro histórico das cidades fosse ter uma conversão pior, mas em todas que fui, encontrei boas cotações lá.

Saiba mais sobre a viagem de Cracóvia aqui.

República Tcheca

Apensar de ter visitado Praga, Cesky Krumlov, Terezín e Kutna Hora, troquei dinheiro apenas em Praga. Os outros passeios foram apenas day trips, então não foi necessário trocar neles.

Em Praga, também troque dinheiro no centro histórico. Normalmente eu ia em casas de câmbio entre a Wenceslas Square e a entrada do centro histórico, mais precisamente entre as ruas Na MůstkuProvaznická. Sempre achei bons preços por lá.

Saiba mais sobre a viagem de Praga aqui.

Hungria

Em Budapeste, eu sempre trocava perto do meu hostel, nos arredores da estação de metrô Oktogon. Tem uma espécie de praça ali na junção de duas avenidas grandes da cidade, então tem algumas boas casas de câmbio por lá.

Saiba mais sobre a viagem de Budapeste aqui.


DICA: Por via das dúvidas, pergunte no seu hostel ou hotel, uma indicação de casa de câmbio e quanto costuma ser um bom valor de conversão. Como são pessoas que vivem nessas cidades, vão saber te informar valores atualizados e locais de boas referências. Converse com outros viajantes também e troque dicas!


Se você gostou desse post e quer dar uma olhadinha nele outras vezes, salve a imagem abaixo no seu painel de viagens no Pinterest! 😀

Para facilitar a sua viagem pelo Leste Europeu, fizemos um apanhado de dicas sobre como trocar dinheiro no Leste Europeu e evitar golpes!

 

E você? Tem alguma dica ou história para compartilhar? Conta pra gente!

Lembre-se que o DDN está aberto a críticas e sugestões via Facebook, comentários e através do nosso contato direto.

Escrito por
Mais de Mar Falco

O que fazer em Atenas, Grécia

A Grécia não precisa de introdução. Basta para um momento para ver...
Leia Mais

Compartilhe suas ideias