Roteiro pela Toscana: conhecendo Siena e San Gimignano em um dia

Duas pérolas italianas e cidades clássicas da Toscana, são Siena e San Gimignano. Além de cidades extremamente charmosas, antigas e apaixonantes, elas ficam muito próximas uma da outra e são cidades pequenas. Porque isso é bom? Porque dá para conhecer as duas cidades em um dia só! Quer forma melhor de otimizar a sua viagem? Então vem com a gente e descubra tudo sobre este passeio na Toscana e como conhecer Siena e San Gimignano em um dia!

As duas cidades, além de super procuradas pelos turistas, são Patrimônios Mundiais da UNESCO. Elas possuem centros históricos antigos e muito importantes. Para quem tem mais tempo e gosta de se aprofundar mais nas cidades, pode ser uma boa fazer cada uma em um dia separado. Mas a verdade é que como são pequenas – especialmente San Gimignano –, é possível conhecer as partes turísticas em meio dia.

O ideal é acordar cedo – especialmente no inverno, quando anoitece mais cedo –, e planejar bem o seu dia para não desperdiçar tempo. Eu estive nas duas cidades durante o inverno, no início de dezembro com uma amiga que morava em Bolonha comigo. Nós pesquisamos bastantes os transportes e o que conhecer em cada cidade, para não ficarmos perdidas à toa e gastando nosso tempo precioso nas cidades.

Como chegar

Eu imaginei que seria super fácil me transportar na Toscana. Mas percebi que os horários são um pouco escassos e as opções também. Eu estava em Bolonha e não tinha transporte direto para Siena, apesar de serem razoavelmente próximas. Por isso, pegamos um trem de Bolonha para Florença.

Normalmente as pessoas fazem este passeio como um bate e volta de Florença, então para este trajeto, as opções são melhores. Pegamos o trem rápido – frecciarossa, um estilo de trem veloz italiano – de Bolonha para Florença às 6h e chegamos em Florença às 06:45. Neste trajeto, pagamos EUR 9.

De Florença para Siena, pegamos um trem, também da Trenitália, por EUR 8,80. Aconselho começar por Siena, pois tem mais coisas para fazer e San Gimignano fica linda no entardecer. O trajeto dura cerca de 1h30 de viagem.

De Siena para San Gimignano, pegamos um ônibus da empresa Tiemme, que gasta mais ou menos uma hora de viagem e custa EUR 6. Compramos a passagem de ônibus na hora e não tivemos nenhum problema. Mas por garantia, pode ser uma boa comprar antes.

Para voltar, pegamos um ônibus da mesma empresa de San Gimignano para Florença por EUR 6,80. De lá pegamos um trem para Bolonha por EUR 12. O ponto de ônibus – não é uma rodoviária – fica exatamente na entrada do centro histórico de San Gimignano. Você chega e sai por lá, já que o ônibus não entram no resto da cidade. Só fique atento ao sentido da via. Para voltar para Florença ou Siena, o ponto de ônibus fica do outro lado da rua em relação ao ponto de ônibus que você chega – que fica exatamente na porta do centro histórico.

Quanto custou:

Tabela com os custos de transporte.

Para quem pretende fazer o passeio A PARTIR DE FLORENÇA, o custo com transporte cai para EUR 21,60.

É possível fazer todo o passeio com um carro alugado. Para isso, recomendamos a Rental Cars. É uma opção excelente também! O único chato de ir de carro, é que você terá que pagar o estacionamento. Mas te dá muito mais liberdade no transporte!

O que conhecer em Siena

Escolhemos conhecer Siena primeiro. Na verdade, nosso plano original era conhecer apenas Siena. Se sobrasse tempo, iríamos à San Gimignano.

Chegando em Siena, pegamos um ônibus da estação até o centro histórico. Dá para fazer o trajeto a pé, mas como tem alguns morros e queríamos aproveitar ao máximo nosso dia, preferimos pegar um ônibus. Chegando no centro histórico, passeie bastante pelas ruas! A cidade é linda – ainda mais decorada de Natal, como vimos.

Algumas atração são imperdíveis, mas tome o seu tempo para caminhar pela cidade.

Duomo di Siena

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Duomo di Siena, ou Catedral de Santa Maria del Fiori, é uma das principais atrações da cidade. E um símbolo da arte, arquitetura e história de Siena. É considerado um dos principais exemplos do estilo romântico-gótico italiano. A catedral é datada de 1179, após o Papa Alessandro III Bardinelli de Siena assinar um tratado de paz com o Sacro Imperador Romano Frederico I, conhecido como Barbarossa. No entanto, o prédio foi construído apenas entre 1215 e 1263.

É uma das igrejas mais surpreendentes da Itália. Não é só uma igreja. Tem também uma biblioteca, a Biblioteca Piccolomini, construída pelo Papa Pio III. Tem também o Museu dell”Opera, um dos mais antigos museus privados da Itália. Além disso, tem uma Cripta, com importantes peças arqueológicas, o Batistério e o Panorama, uma torre que você pode subir seus 131 degraus para ter uma vista incrível da cidade.

Bilhetes

O ticket completo inclui a Catedral, a Biblioteca Piccolomini, o Museu dell’Opera, o Panorama, a Cripta e o Batistério. Ele custa EUR 12 nos meses de março a outubro e EUR 8 de novembro a fevereiro.

Existem também bilhetes combinados: Catedral + Biblioteca Piccolomini por EUR 6. Entre os meses de novembro e fevereiro a entrada destes dois é gratuita. Museu dell’Opera + Panorama por EUR 7. Cripta por EUR 6 e Batistério por EUR 4.

Horários

De 1 março a 2 novembro: das 10h30 às 19h.
De 3 novembro a 28 fevereiro: das 10h30 às 17h30.
De 26 dezembro a 6 janeiro: das 10h30 às 18h.

Confira aqui o site oficial.

Piazza del Campo

É o cartão postal de Siena e responsável por um dos eventos mais famosos da Itália: o Palio di Siena. O Palio é uma corrida de cavalos que acontece na Piazza del Campo entre 2 de julho e 16 de agosto, todos os anos desde o século XVII em homenagem a Nossa Senhora.

A praça tem um formato um pouco diferente. O centro dela é mais baixo que as laterais, formando um declive. Desde 1300, a praça serve como mercado, ponto de encontro e sede de eventos. A praça está sempre cheia de turistas e moradoras, que aproveitam o dia para tirar fotos ou encontrar com os amigos.

Na praça, existem três atrações marcantes. A primeira delas é o Palazzo Publico, onde fica o Museu Cívico, que é o prédio grande que se encontra a segunda atração, a Torre del Mangia. É possível subir na torre e mais uma vez ser maravilhado com a vista da cidade. Por fim, ainda na praça, está a Fonte Gaia, esculpida por Jacopo della Quercia entre 1409 e 1419. A fonte que se encontra n apraça hoje é apenas uma réplica.

Fonte Gaia.

Bilhetes e horário de funcionamento

A praça, claro, é gratuita. Já a Torre del Magia, custa EUR 7. O museu funciona das 10h às 18h30. O ingresso custa EUR 7,50. O bilhete combinado da torre + museu custa EUR 12.

Basilica di San Francesco

A Basilica di San Francesco é uma das mais importantes de Siena. Sua construção é datada do século XIII, em estilo romântico. A igreja sobreviveu a uma forte incêndio em 1655 e hoje, seu interior parece ser uma pouco vazio por causa de tudo que foi destruído. Os vitrais foram refeitos após a Segunda Guerra, quando foram destruídos nos bombardeios.

Bem ao lado da igreja está o Museu Diocesano de Arte Sacra.

Horário de funcionamento da igreja: das 7h30 às 12h e das 15h30 às 19h. Entrada gratuita.

Via Banchi di Sopra

Esta rua merece entrar na lista. Além de linda e cheia de comércios, ela abriga duas praças pouco reparadas, mas que me agradaram bastante.

A primeira delas é a Piazza Salimbeni. A praça é sede do Banco Monte dei Paschi di Siena, que fica no Palazzo Salimbeni. No meio da praça, está a estátua de Sallustio Bandini, um religioso, político e economista italiano e aos lados os Palácios Tantucci e Spannocchi.

A praça me chamou a atenção a princípio pela árvore de Natal montada ao lado da estátua. Foi aí que reparei como a praça e os prédios dela são bonitos. 

A segunda praça é a Piazza Tolomei, que além de uma igreja, guarda ainda uma estátua parecida com a de Roma, com uma loba amamentando duas crianças. A estátua replica a lenda de Rômulo e Remo, que foram criados por uma loba. A lenda diz respeito à fundação de Roma pelos irmãos. Na história, Rômulo mata Remo.

Siena é a continuação da história! Diz a lenda, que os filhos de Remo, Senio e Ascanio, fugiram para a Etruria (que hoje é a Toscana) e fundaram a cidade de Siena, nome dado em referência ao irmão mais velho, Senio. Com o tempo, o nome da cidade foi mudando de Senio para Sena e por fim, Siena.

A história conta que os dois irmão fugiram em um cavalo preto e um branco, presente dos deuses Apolo e Diana. Preto e braco são as cores da bandeira de Siena e estão presentes em outros lugares, como no Duomo do Siena, por exemplo. Em frente ao Duomo, tem outra estátua da loba com os dois meninos. Aproveite para conhecer a estátua e entrar no mundo da história de Rômulo e Remo!

O que comer?

Siena, assim como várias outras cidades italianas, têm alguns pratos que valem a pena experimentar.

Panforte

O primeiro e mais famoso deles é o panforte (pão forte, em português). É um doce – nada doce – típico da cidade e muito aclamado por lá. É um doce típico de Natal. Mas você o encontra em Siena em outras épocas do ano também.

O panforte é uma espécie de bolo apimentado com frutas e nozes. É um dos doces mais famosos da Itália! Sua criação é do século XIII e o panforte é citados em vários relatos históricos. Nos vários séculos de vida, o panforte teve sua receita alterada, acrescentando e retirado ingredientes, mas sempre mantendo a base do doce. Ele ficou tão famoso e foi tão apreciado, que existem registros históricos que mostram que o doce fazia parte de festas importantes das famílias mais ricas da Itália.

Existem várias histórias sobre sua criação, como você pode ver neste link. Mas o que não muda, é o quão famoso o pão doce, apimentado e com nozes é.

Recomendo experimentar o panforte do Bar Caffetteria 4 Cantoni, na Via di Città, 135. O lugar é sobre amigável e tem um dos panfortes mais famosos e tradicionais de Siena. Eu particularmente não gostei do panforte. Mas se você já vai até Siena, não deixe de experimentar!

Ricciarelli

Outro doce de Siena famoso é o ricciarelli. Esse sim devo dizer que é apaixonante. É como se fosse uma bolacha porosa com açúcar em cima. A massa é extremamente leve e o açúcar completa o sabor. Se eu pudesse, sentaria com um saco cheio de ricciarelli e comeria de uma vez.

Para esta maravilha italiana, recomendo que você o experimente no Menchetti, uma lojinha meio minisupermercado que tem coisas maravilhosas! É super famoso em Siena. Aproveite para comer uma focaccia por lá também. Apesar de ter focaccia para todo lado na Itália, eu realmente gostei da que comemos no Menchetti. É um bom almoço! O Menchetti fica na Via Pianigiani, 5.

Nós estamos sempre atualizados com as melhores dicas para viajar barato! Coloque seu nome e e-mail abaixo para receber gratuitamente novas publicações do Diário de Navegador em sua caixa de entrada! 😀

Não vai ficar fora dessa, né? 😉

O que conhecer em San Gimignano

San Gimignano é uma cidade murada e bem pequena. Dá para cruzar ela toda em poucos minutos. A fundação da cidade ainda é um mistério e não tem uma data exata. A primeira aparição em documentos foi no século X, mas muito acreditam que ela seja mais antiga que isso. Na Idade Média, a cidade foi muito próspera e famosa nas atividades agrícolas, especialmente na produção de açafrão, vinho e lã.

A cidade é muito famosa por suas várias torres espalhadas pelo centro histórico. Elas eram construídas como símbolo de poder das famílias ricas. Sua altura era proporcional a riqueza de cada família, o que gerava disputa pela maior torre. San Gimignano já chegou a ter 72 torres no seu pequeno espaço construído. Com o passar do tempo e das dominações que a cidade sofreu, inclusive de Florença, as torres foram sendo destruídas. Em 1580 haviam apenas 25 torres sobreviventes. Hoje, são apenas 14. O blog Viva Toscana fez um post contando um pouquinho sobre cada uma das 14 torres restantes.

Mais uma vez, a maior graça da cidade é caminhar pelas ruas. A cidade é muito bonita e rodeada de uma paisagem tipicamente toscana. Não perca a oportunidade de caminhar bastante! A cidade fica no alto de um morro, então tem uma vista linda. Dependendo da época do ano, existem empresas que fazem passeios nas vinícolas. No inverno estavam fechadas, mas fiquei morrendo de vontade de ir!

Você chegará na cidade pela Porta San Giovanni, fundada em 1262 e seguirá pela Via San Giovanni, uma rua cheia de lojas, hospedagens e restaurantes. Seguindo a rua, você chegará na Piazza della Cisterna, nossa primeira parada.

Porta San Giovanni, em frente ao ponto de ônibus.

Piazza della Cisterna

É a praça central da cidade. No centro da praça tem um poço, que dá o nome a praça. Ele foi construído em 1273. Nas paredes do poço, tem um brasão gravado. O brasão era da família de Guccio Podestà dei Malavolti, responsável pela ampliação do poço em 1346.

A praça é cercada de construções importantes, como Pallazzo Tortoli, a Torre da Corte, , o Hotel Cisterna,  o Palazzo Ridolfi , Palazzo Pellari, o Palazzo Ardinghelli e o Palazzo Lupi com sua Torre del Diavolo. A maior parte destas construções, foi a moradia de famílias ricas e importantes da cidade.

Piazza del Duomo

Bem ao lado da Piazza della Cisterna, está a Piazza del Duomo, onde fica a catedral da cidade, além do Palazzo Comunale, da Basílica Colegiada de Santa Maria Assunta, do Palazzo Chigi – Useppi e do Palazzo Vecchio del Podestà , com a sua Torre Rognosa que foi uma prisão até o fim do século XIV.

Bilhete e horário de funcionamento

O Duomo fica aberto de segunda a sábado, das 10h às 17h e aos domingos das 12h30 às 17h. A entrada no Duomo custa EUR 4, mas se quiser entrar no Duomo + Museu de Arte Sacra, o bilhete é EUR 6.

Rocca di Montestaffoli

Atrás do Duomo está a Rocca di Montestaffoli, um antigo castelo de Lombard Astolfo e posteriormente um convento dominicano. É datado do ano 1353, quando San Gimignano estava sob o domínio de Florença. Sua construção tinha o objetivo de proteger a cidade de ataques, principalmente de Siena. Como está em um ponto alto, favorecia a visualização de um possível ataque.

Hoje, permite uma vista linda de toda a região. Sugiro subir mais para o fim da tarde, para pegar a vista de dia ainda e acompanhar o por do sol. Lá de cima, dá para ter noção da quantidade de torres que a cidade ainda possui e imaginar melhor como seria a paisagem com as 72 torres originais.

O que comer?

A primeira dica é, claro, uma pizza. Não é um prato típico, mas conheci um lugar de pizza boa e barata. Ta aí uma dica que todo mundo gosta! Depois de andar o dia todo, uma pizza ajuda bem. O lugar é o Riccapizza, bem na entrada do centro história. Fica na Via S. Giovanni, 92. Eles vendem as fatias de pizza, focaccias e pizzas inteiras.

Por fim, experimente o gelato da Gelateria Dondoli! Ela fica na Piazza della Cisterna, 4. Eles já ganharam o prêmio de melhor gelateria do mundo 4 vezes! É constantemente citada em guias mundiais e sempre aparece nas notícias como o (ou um dos) melhores gelatos do mundo. Vale muito a pena!

Foto: O Viajante Comilão.

Como eu disse, não são muitas atrações, mas ainda assim tem muita coisa para se ver! 


Se você gostou desse post e quer dar uma olhadinha nele outras vezes, salva a imagem abaixo no seu painel de viagens no Pinterest! 😀

Vem com a gente e descubra tudo sobre o passeio na Toscana e como conhecer Siena e San Gimignano em um dia! Saiba o que comer e o que conhecer em cada uma!

E você? Já fez algum destes passeios? Conta pra gente!

Lembre-se que o DDN está aberto a críticas e sugestões via Facebook, comentários e através do nosso contato direto.

Escrito por
Mais de Mar Falco

Itália: dicas de viagem para Cinque Terre

As Cinque Terre são cinco vilas muito charmosas que formam uma das...
Leia Mais

Compartilhe suas ideias