Dicas para não passar aperto no seu primeiro voo internacional

O primeiro voo internacional, sozinho ou acompanhado, fica bem marcado na gente. O nervosismo, a ansiedade, a curiosidade… tudo isso faz parte da experiência! Para te ajudar a se preparar da melhor forma e ter uma primeira viagem super tranquila para o exterior, preparamos algumas dicas para o seu primeiro voo internacional!

Minha experiência

Meu primeiro voo internacional foi aos 15 anos para os Estados Unidos. Fiz a viagem para Nova York e Disney com um grupo de amigas por intermédio de uma agência. Na época, fui orientada em relação ao que iria acontecer, mas a agência cuidou de tudo já que tinham dois agentes embarcando com a gente, então não serviu para aprender muita coisa para viajar sem agência.

Meu primeiro voo internacional sem um agente de viagens presente foi aos 17 anos, quando embarquei sozinha para fazer um intercâmbio no Canadá. Mesmo que tenha sido um intercâmbio feito com o intermédio de uma agência, eu embarquei, passei pela imigração e cheguei até a minha host family (família que me receberia no Canadá) completamente sozinha.

Desde então, já peguei outros voos internacionais sozinha ou acompanhada (sem agentes de viagem) e venho coletando dicas. Algumas são óbvias, outras a gente tem que passar um apertinho para aprender. Espero que com essas dicas, você não passe por nenhum aperto! Hoje elas funcionam perfeitamente pra mim e meus voos são sempre muito tranquilos e sem stress.

Como tudo relacionado a viagem, os preparativos é que fazem toda a diferença! Se prepare com antecedência e não terá nenhum problema!

O que levar na bagagem de mão

Evite levar muita coisa na bagagem de mão. A maioria do que levamos acabamos não usando! É muito mais difícil e chato carregar uma mala pesada pelo aeroporto. Facilite a sua vida, e seja econômico na bagagem!

Procure levar apenas itens de valor na bagagem de mão (como jóias, dinheiro e eletrônicos) e o que for usar durante o voo ou no aeroporto.

Consulte a companhia aérea e confira o a franquia de bagagem que eles permitem. Costumam ser duas malas de 32 kg e uma de mão de 7 kg (bolsa não conta, desde que não muito grande).

Eu viajo sempre com uma bagagem de mão pequena. Com o tempo, fui aprendendo a ser econômica com a bagagem e foi a melhor coisa! Dentro do avião levo uma mochila como bagagem de mão ou uma pequena e a minha bolsa, que não conta como bagagem.

Aqui, algumas coisas que considero muito importantes ou de grande ajuda para levar com você dentro do avião:

Documentos

Vai depender muito do seu país de destino. Esses são os mais comuns:

  • Passaporte: dependendo do país pode ser RG, confira aqui se o país que você vai aceita Carteira de Identidade.
  • Visto: em alguns casos, já vai estar no passaporte, mas em outros pode ser uma folha separada, um carimbo na chegada do país… confira as regras de imigração do país onde você vai!
  • Comprovação financeira: alguns países pedem que você comprove um valor X por dia de viagem. Outros pedem na hora de tirar o visto e tem aqueles que não pedem. Se informe!
  • Comprovante de hospedagem: é sempre bom – e as vezes obrigatório – ter. Pode ser uma carta convite – quando alguém vai ter receber na casa dele -, comprovante de reserva de hotel, hostel, Airbnb, etc. Podem até te pedir para citar o seu roteiro. Quando mais documentação comprovando o roteiro, melhor.
  • Passagem de volta: é sempre bom ter também! Os países querem saber que você não pretende morar ilegalmente lá. Confira se no seu caso é obrigatório.
  • Seguro viagem: confira se no seu caso é obrigatório. Aqui no blog, SEMPRE recomendamos o uso de seguro. Está com dúvida se vale a pena? Então confira esse post!
  • Carteira Internacional de Vacinação: podem te pedir para comprovar vacinas como a da febre amarela. Confira se onde você vai é obrigatório. Na dúvida, faça!

Sempre pesquise bastante quais documentos o país ou países que você vai exigem! Esteja sempre preparado e na dúvida, leve documentos a mais!

Passaporte

Remédios

O recomendado é que você tenha receita dos remédios traduzidas para o inglês caso peçam. Eu particularmente nunca vi ou ouvi um caso que pediram a receita traduzida. Quando fui morar no Canadá, levei as receitas em português e nem olharam minha mala despachada. Desde então, viajo sem receita, pois não uso nenhum remédio mais sério.

A grande dica aqui é essa: se achar necessário, separa um comprimido de relaxante muscular, remédio de dor de cabeça, anticoncepcional ou remédio para enjoo e leve na bagagem de mão. Mas leve apenas a quantidade de precisa usar! O resto vai ser despachado na mala.

Leve os remédios controlados que precisa (se for o seu caso) e leve também relaxante muscular, remédio para febre e dor de cabeça, digestivo, remédio para enjoo (se você costuma enjoar em ônibus ou carro) e a quantidade exata (um pouco a mais) de anticoncepcional, se for o seu caso.

Se precisar de um termômetro ou mais remédios, deixe para comprar no seu destino apenas se precisar, para não encher sua mala com remédios. Não adianta levar muito, a gente raramente usa!

Para quem toma remédios mais fortes e controlados, recomendo levar a receita! Podem nem olhar, mas é melhor ter que ficar sem o remédio.

Higiene

Dentro da minha bolsa, carrego alguns itens que já precisei e sei que fazem toda a diferença ter de fácil acesso. O primeiro deles é escova de dente e um creme dental daqueles pequenos. Já tive a experiência de passar 4 dias presa no aeroporto por conta de um tornado e precisei muito desses itens básicos. Além disso, depois de passar a noite inteira dentro do avião, você com certeza vai querer escovar os dentes! Aproveite e leve também um desodorante pequeno com menos de 100 ml. Quando mais longo for o seu voo e escalas/conexões, mas você vai precisar!

Para uso no avião

Outras duas coisas super necessárias e que fazem falta, são um fone de ouvido e uma caneta. Os voos internacionais costumam tem uma televisãozinha individual para cada poltrona. A companhia aérea, no geral, vai te dar um travesseirinho, uma coberta e um fone de ouvido. Se você estiver sem fone, é um ótimo quebra galho. Mas sempre prefiro levar o meu, já que não ocupa espaço, posso precisar outras vezes na viagem e sempre acho que os fones são reaproveitados!

Fone de ouvido

Outra coisa, eu particularmente não gosto do travesseiro deles e já peguei muita coberta fedida. Esses itens também são reaproveitados, então sempre viajo com a minha cobertinha e almofada de pescoço para viagem. Antes de ter esses itens, eu usava os da companhia aérea ou improvisava com outra blusa de frio (vestindo uma e deitando na outra). Funciona também! Mas se quiser uma coisa mais limpinha e confortável, leve o seu! Ocupa um pouco de espaço e você tem que levar na mão ou dentro da bolsa, mas vale a pena.

A coberta eu comprei no Walmart. Não me lembro o preço exatamente, mas foi em torno de R$25,00 na promoção. Ela é super prática e fica enrolada dentro da capinha. Normalmente prendo as alças na almofada de pescoço e na alça da bolsa, assim não preciso segurar nenhum dos dois. A coberta é bem grandinha também, não vai correr o risco de não te cobrir por completo sentado.

Coberta de viagem

Dá para ver que ela é bem compacta.

Eu tenho uma almofada de viagem e o Nic tem outra. Ambas muito boas! A do Nic é a preta, feita especialmente para usar no avião. Como a parte de trás dela (onde encosta na nuca) é menor, fica mais confortável para usar nas poltronas de avião, já que não reclinam muito. É da marca Fom.

Já a minha almofada, é a roxa, que tem um capuz para guardar o resto e ficar bem pequena. É super prática de carregar. Além disso, tem um zíper na lateral que permite que você tire a capa para lavar. É da Imaginarium.

Almofadas de viagem

As duas tem um fecho na frente, o que o mantem mais firme no pescoço e permite que você prenda na mala, por exemplo, facilitando para carregar.

Em relação a caneta, ela é muito necessária! Chegando no seu destino, os comissários de bordo vão te entregar um papel da imigração que você tem que preencher com seus dados e declarando dinheiro e eletrônicos (em caso de mais de 10 mil reais, normalmente). Dá para ir sem, claro. Mas ai você vai ter que ficar pedindo emprestado para as outras pessoas. É outra coisa que não ocupa espaço e ajuda especialmente que não fala outro idioma, afinal, não tem como saber antes se a pessoa do seu lado é brasileira ou não.

Por fim, leve chicletes! Nos meus primeiros voos eu sempre mascava chicletes e ajuda muito a normalizar a pressão da nossa cabeça. Hoje não viajo mais com chicletes porque já aprendi os movimentos com o maxilar que mais funcionam para mim. Mas para quem vai pegar o primeiro voo longo assim, vale a pena! Já entupi o ouvido uma vez e gastou uns dois dias para voltar ao normal.

Celular

Leve o seu celular com bateria cheia! Se precisar, procure lugares no aeroporto que tenham tomadas para você recarregar o aparelho. Durante o voo mantenha o celular desligado para economizar bateria. Se quiser ouvir música nele, coloque em modo avião.

Para quem quer ter internet na viagem, é bom manter a carga e já trocar pelo chip internacional dentro do avião para já desembarcar funcionando. Se você quiser saber mais sobre como ter internet no exterior, confira esse post!

Para voos maiores e pessoas precavidas

Aqui vai uma dica extra! Não costumo seguir ela, mas precisei uma vez e fez falta. Leve uma camiseta extra e uma calcinha/cueca na bagagem de mão. É necessário caso sua bagagem seja extraviada e você precise de um dia para recuperar ou comprar roupas novas. Pra mim, foi necessário nessa vez que fiquei 4 dias no aeroporto. No primeiro dia, não haviam devolvido as malas, então tomei um “banho” na pia do banheiro para ficar mais confortável. Ajudaria muito ter uma blusa, uma calcinha limpa e desodorante comigo.

Com qual roupa devo viajar?

Há alguns anos atrás, as pessoas se arrumavam muito e viajavam sempre bem vestidas. Com o tempo e com o grande aumento de voos, fomos percebendo de se arrumar demais não faz nenhuma diferença positiva no seu voo. Não me entenda mal, não precisa ir mal vestido, até porque os agentes de imigração podem te tratar diferente se desconfiarem de você.

A questão aqui é o seguinte: você provavelmente vai esperar por horas no aeroporto. Vai viajar por horas seguidas e talvez esperar um pouco mais no aeroporto. Então, para fazer esse caminho todo, o mais recomendado é que você vá com uma roupa confortável e principalmente um sapato confortável.

A minha roupa favorita de viagem é tênis, calça jeans e uma camiseta sem decote e uma blusa de frio fina. O tênis (normalmente uso o de corrida) ajuda bastante quando tenho que atravessar o aeroporto para trocar de portão, é fácil de tirar e colocar para passar no raio-x. Ajuda também dentro do voo, que mantem seu pé quente, é fácil de tirar e colocar (desde que não tenha chulé) e é confortável, caso eu não queira tirar o sapato.

Roupa de viagem

Porque essa é a melhor roupa?

A calça jeans acho perfeita! Cobre a perna toda, então não passo frio, é comportada para passar na imigração e não dá a impressão de desleixo para os agentes. Infelizmente somos julgados também pela imagem na imigração! Claro que você não vai ser proibido de entrar no país, mas o agente pode te encher o saco e pedir mais documentos que precisa.

Dou preferência para camiseta sem decote pelo meu conforto na hora de dormir no aeroporto (já aconteceu várias vezes) e no avião. Se for camiseta de manga curta e aquele decote redondo, melhor ainda. Assim, você pode girar na poltrona sem preocupação e fica mais relaxada pra dormis. Para os homens, ainda recomendo uma camiseta de manga curta. Não tem erro!

Prefiro de manga curta, porque mesmo que o avião seja frio (independente do país ou estação), as vezes corremos no aeroporto, esperamos muito tempo e sentimos calor. Mesmo quando vou para um país frio no inverno, a minha primeira camada é uma blusa de manga curta. Nesse caso, já peguei lugares com aquecedor muito quente e morri de calor.

Lembre-se de sempre levar uma blusa de frio! É frio dentro do avião e você vai muito mais confortável para passar horas lá dentro estando aquecido. Não importa se você vai chegar no verão, o avião é sempre frio. Levo uma blusa de frio fina, porque sempre viajo com aquelas cobertinhas pequenas, porque adoro e durmo mais fácil! Mas a blusa ainda faz falta!

Qual idioma os comissários de bordo falam?

Os voos que saem do Brasil, sempre têm comissários que falam português. Se você vai voar de Alitalia, British Airways, Air Canada, American Airlinas, Aerolineas Argentinas… não importa! Eles vão ser brasileiros ou vão falar português.

Para os voos que estão voltando para o Brasil, ainda assim os comissários costumam falar português também. O que acontece, é que as empresas selecionam os funcionários que falam os idiomas para fazerem aquele trajeto. Em um voo Brasil – França, os comissários vão falar português e francês, então nessa parte do voo, pode ficar bem tranquilo!

Se por um acaso raro, ninguém no voo falar português, não se preocupe! Os comissários são super dispostos a se comunicarem com você gesticulando ou tentado usar palavras de outro idioma que talvez você conheça.

Comissária de bordo

Fazendo o check-in

Muita gente fica nervosa na hora de fazer o check in e seguir para a sala de embarque. Na verdade, é o mesmo processo de um voo nacional.

Para voos internacionais, a recomendação é que você chegue com no mínimo duas horas de antecedência ao embarque. Se possível, chegue mais cedo ainda! Evita correria e para quem não tem muito costume com aeroportos, dá tempo de dar uma volta e chegar em todos os lugares a tempo e sem muita pressa.

Chegando no aeroporto, vá direto para o guichê da companhia aérea do seu voo. Se ele estiver fechado, não se preocupe! Alguns guichês tem horários diferentes, mas sempre abrem com tempo suficiente para o seu check in com calma. O check in nada mais é que a confirmação dos seus dados e despacho da bagagem.

No momento do seu check in, basta apresentar o seu documento (passaporte ou RG, dependendo da sua viagem). O funcionário da cia aérea vai te falar sobre onde retirar sua bagagem (se não falar, pergunte) e vai pesar e despachar a sua mala com a identificação do voo e seus dados. Ele vai te entregar o seu(s) bilhete(s) aéreo(s) e você já está liberado do check in e sem as malas pesadas para carregar.

Você pode fazer o check in pela internet ou em um totem de atendimento no aeroporto, mas para quem está no primeiro voo internacional, acho que passa mais segurança fazer o check in diretamente no balcão da cia aérea.

Painel de voos

Sala de embarque

O próximo passo é ir até a sala de embarque que está escrita no seu cartão de embarque (bilhete aéreo). Chegando lá, você irá passar pelo detector de metais e irão conferir os líquidos e objetos proibidos (cortante, explosivos, etc) da sua bagagem de mão.

Enquanto aguarda na fila, já pode ir pegando uma das bandejas que ficam a mostra e colocando os seus eletrônicos que estão na mala (especialmente computador e tablet), tirando os metais do bolso, cintos e se estiver com sapato fechado, pode ir tirando também. Alguns aeroportos até oferecem um protetor de pé para você não precisar sujar o pé ou a meia, mas não é regra.

Lembre-se que na bagagem de mão só podem ter líquidos ou cremes em que a embalagem tenha menos de 100 ml. Se for uma embalagem de 300 ml mas só com um restinho, não adianta! A embalagem é que teve ter capacidade para até 100 ml, independente do conteúdo. A soma dos líquidos não pode passar de 1 litro!

O melhor é você levar alguns saquinho ziplock para colocar os cremes de maquiagem, embalagens de líquidos, etc, já que é o único saquinho aceito. Se não der pra levar pronto, não tem problema! Eles sempre têm disponível ou deixam passar sem o saquinho.

Sala de embarque

Portão de embarque

Passando do detector de metais, você já estão na sala de embarque do seu voo. O próximo passo é achar o portão de embarque. Normalmente são números, mas podem ser letras também. Vai estar escrito no seu cartão de embarque que te entregaram no check in.

As salas podem ser muito grandes, então o que sempre faço e ir direto no meu portão de embarque. Quando estiver achado e segura do local, aí sim vou no banheiro, vou procurar tomadas ou comer alguma coisa. Perto de cada portão tem tudo isso, então use os que já estão perto do seu. Assim, se você não ouvir o chamado do seu voo, você vai pelo menos ver as pessoas fazendo fila para embarcar e é muito mais difícil perdê-lo!

Qual a diferença entre escala e conexão

Escala

A escala, é a parada do avião em um destino que não é o destino final para embarque e desembarque de passageiros sem que você precise sair do avião. É mais comum para voos nacionais. Por exemplo: um voo de Belo Horizonte para Recife que tenha uma escala em Salvador. O avião vai parar no aeroporto de Salvador para sair e entrar passageiros e você aguarda dentro do avião.

Conexão

Já a conexão, é a parada do avião em um destino que não é o final e existe troca de avião. Em alguns casos, pode haver até a troca de aeroporto. Por exemplo: um voo de São Paulo para Paris com conexão em Lisboa. O avião vai parar no aeroporto de Lisboa e você irá desembarcar dele. Nesse caso, você terá um segundo bilhete aéreo.

Para voos internacionais como o do exemplo, a sua imigração será no aeroporto de Lisboa. Você passará pela imigração e seguirá para o portão de embarque do seu próximo voo, nesse caso para Paris. Você pode retirar a bagagem ou não, vai depender da companhia aérea.

No momento do primeiro check in (em São Paulo), pergunte ao atendente onde você irá retirar a sua bagagem. Se tiver que retirar em Lisboa, basta pegar a bagagem e se encaminhar para o balcão da companhia aérea para despachar novamente para o próximo voo.

Dica para conexão

Evite conexões curtas para voos internacionais (menos de 1h30). Imagina você passar pela imigração, ter que retirar a sua bagagem, ir até o balcão para despachar de novo e ir para o portão de embarque para o próximo voo em um aeroporto grande. Gasta um tempinho e não é bom fazer correndo e estressando.

Se você tiver comprado todos os bilhetes de uma vez, normalmente (depende do caso) a companhia aérea que é a responsável por te colocar em outro voo gratuitamente caso você perca ele durante uma conexão. Se você tiver comprado os trechos separados, deve comprar uma nova passagem.

Pessoas no aeroporto

Como funciona a imigração?

A imigração nada mais é que a aprovação do país em relação a sua chegada. Existem pequenos guichês com um agente de imigração em cada. Eles são os responsáveis por conferir se você preenche os pré requisitos de entrada do país.

Como chegar até lá

A imigração é mais simples do que parece. Quando você chegar ao seu destino final, ou descer em uma conexão no exterior, basta “seguir o fluxo” de pessoas que estão saindo do mesmo voo que você.

Os aeroportos dão feitos para te direcionar para o caminho certo a se seguir. Quem está desembarcando na área internacional, como vai ser o seu caso, deve obrigatoriamente passar pela imigração, então não tem outro caminho para se seguir. Confira sempre a sinalização do aeroporto e siga as pessoas que estão com você. Não falha!

Eu sempre dou uma passadinha no banheiro antes de ir para a fila da imigração, para não ter que ficar esperando “apertada”. Chegando no inevitável caminho da imigração, fique atento às placas de separam as filas. Cada país vai ter uma configuração diferente e você deve se direcionar para a que se refere a você. Se for pra fila errada, nada vai acontecer, mas você vai perder tempo. Na dúvida, pergunte algum segurança que fica lá.

Na América do Sul, costuma ter a separação “países do Mercosul” e “outros países”. Nesse caso, você iria para a fila do Mercosul. Na Europa costuma ser “chegadas da União Européia” e “chegada de fora da União Européia”. Olhe a que você se encaixa e entre na fila.

Passando pela imigração

Já fique com seus documentos prontos em mãos. Atrasa muito o andar da fila se todo mundo que chegar até o guichê ainda ter que parar a procurar os documentos dentro da bolsa. Lembre-se que documentos devem estar na bagagem de mão! A imigração acontece antes de você pegar a sua mala despachada. Se tiver despachado seus documento, não vai poder entrar no país. Isso já aconteceu com uma conhecida minha que tinha despachado os documentos e quando chegou na Espanha vou deportada. Então lembre-se disso!

A imigração também depende de cada país. Na Itália mal olharam pra mim e já carimbaram meu passaporte e me deixaram passar. Nos Estados Unidas, me fizeram algumas perguntas, como “vai ficar quanto tempo?”, “onde vai se hospedar?” e “preciso ver a autorização dos pais” (eu era menor de idade nessa época).

Se você estiver com os documentos que citei acima e todos os obrigatórios que o país exige, não tem porque dar errado. Pode ir tranquilo! Vão tirar uma foto sua no guichê com a web cam, carimbar seu passaporte (ou olhar o RG) e te liberar. Se você tiver problema com o idioma, peça ajuda de um tradutor. Costumam ter alguns na sala de imigração. Os próprios agentes chamam. No geral, eles vão tentar falar devagar e gesticulando para você entender.

Esteira de bagagem

Passada a imigração, continue seguindo o fluxo e as placas e você irá chegar na esteira onde pega as malas despachadas. Pegue sua mala e se tiver que pegar outro voo, saia dessa área de desembarque e procure o balcão da cia aérea. Mais uma vez, o aeroporto é feito para que você só tenha esse caminho a seguir. Na dúvida, pergunte alguém.

Pessoas no aeroporto

Se já for o seu destino final, então está liberado! Pegue sua mala e aproveite bastante a sua viagem! Depois, conte tudo pra gente aqui nos comentários 😀


Como foi seu primeiro voo internacional? Conta pra gente!

Lembre-se que o DDN está aberto a críticas e sugestões via Facebook, comentários e através do nosso contato direto.

Nós estamos sempre atualizados com as melhores dicas para viajar barato! Coloque seu nome e e-mail abaixo para receber gratuitamente novas publicações do Diário de Navegador em sua caixa de entrada! 😀

Não vai ficar fora dessa, né? 😉

Compartilhe suas ideias