7 coisas para não levar na mala de viagem

O sucesso de uma mala bem feita está na praticidade e organização. Para ser prático, a primeira coisa é dispensar itens desnecessários na viagem e levar apenas itens úteis e importantes para o seu passeio. O problema é que arrumar a mala de viagem não é uma tarefa tão fácil assim. Por isso, pensei nas bobeiras que já cometi arrumando mala e juntei para você 7 coisas para não levar na viagem! 

Sempre levamos mais do que usamos e nesse meio tempo a gente fica carregando um peso desnecessário e ocupando o espaço de algo mais útil. Quem nunca encheu a mala de bobagem que atire a primeira pedra! Mas vivemos e aprendemos. E esse post está carregado de erros meus (e de vários outros viajantes) para você aprender com a gente e se poupar dessa bobeira de levar mala cheia de coisas sem uso!

Coisas para não levar na mala de viagem:

  1. Livros

Ler é muito bom. Mesmo na viagem, é um passatempo gostoso e muito rico. Mas levar os seus livros para viajar não é uma boa ideia. Pesa a mala, são desajeitados e na grande maioria das vezes, você nem vai abrir o livro.

Solução: tenha um Kindle, um tablet ou outro passatempo. Se você não fica sem ler no seu dia a dia, opte por ter uma forma digital de ler. Economiza espaço e facilita muito a sua vida. Se você não tem dinheiro para comprar um kindle (como eu, ops!) então escolha um novo passatempo para o período da sua viagem. Faça uma boa playlist de músicas, baixe bons joguinhos no celular ou algo do gênero. Te ajuda na espera do aeroporto ou antes de dormir. E não ocupa espaço. 😉

  1. Roupas que você usa pouco

Sabe aquela regrinha de doar roupas de “se não usou no último ano, pode doar?” Bom, ela também encaixa aqui. No meu primeiro intercâmbio, cheguei no Canadá quase no limite de peso da minhas duas malas grandes. Mas o que não levei em consideração, é que tinha muita roupa e sapato que eu não usava nem no Brasil. E, pior, que eu iria comprar coisas novas durante o intercâmbio.

O resultado foi deixar algumas roupas no Canadá para pode conseguir fechar duas malas enormes de 32 quilos. “Tá Mar, mas foram 7 meses de intercâmbio”. Mas usei sempre as mesmas roupas, assim como faço no Brasil.

Já no meu segundo intercâmbio, fui para a Itália com uma mala grande quase cheia e o meu mochilão meio vazio. Seriam 6 meses com beeem menos roupas que o primeiro intercâmbio. E advinha? Não usei várias peças de novo.

Não adianta. Tem roupa que usamos muito pouco. Ou porque é muito chique, porque você não gosta tando assim, porque precisa de passar sempre antes de usar (não são boas peças para a sua mala!). Então simplifique a sua vida e faça uma mala realista. Se você nunca acha hora de usar tal peça, não vai ser na viagem que você vai usar (a não ser um casacão de neve, por exemplo).

Solução: leve peças coringas e tente ser mais básico. Dá para ser bem vestido com roupas práticas e do seu dia a dia. Essa não é a hora de tentar fazer decolar aquela calça capri que só dá certo com aquele tênis que você usa pouco porque machuca seu pé. Já são duas coisas para cortar da lista!

  1. Muita maquiagem

Vou ser sincera: eu sempre levo maquiagem na mala. Não gosto de ser pega desprevenida. Tem dia que a gente quer colocar uma corzinha na cara e tirar umas fotos mais charmosas. Às vezes rola uma baladinha. Ou se você é como eu, ainda tem o protetor solar com cor de base que pede um pó compacto depois para não ficar com o rosto brilhando.

Não tem problema algum em querer manter a vaidade durante e viagem (por mais mochileira que ela for). Não é necessário, mas é importante para algumas pessoas. Se você já não costuma usar maquiagem mesmo para sair, então não se incomode em carregar isso para todo lado. Sua mala vai ser bem mais leve sem uma bolsinha de formato difícil de encaixar na mala.

Para quem gosta de maquiagem e até para quem acha indispensável, aqui vai a dica: leve pouca maquiagem. Essa eu também aprendi errando. Levava umas duas bolsas com uns 5 tons de sombra, corretivo, base, pó, blush, rímel, lápis preto e branco, uns 3 tipos de batom, etc.

Até que reparei que durante a viagem eu usava sempre as mesmas coisas. Era sempre base (no meu caso protetor solar com tom de base), pó, rímel e sempre o mesmo batom. Resolvi então reduzir minha bolsinha para isso. Acrescentei apenas um blush e delineador, que gosto de usar de vez em quando. Nem lápis de olho levo mais, pois sempre acordava como um panda (mesmo usando demaquilante) e achei que não valia a pena.

Desde então, minha bolsinha – que antes eram duas – cabe maquiagem e remédios, tudo junto. Foi uma grande economia de espaço, até porque não dá para levar tudo jogado na mala e as bolsinhas ocupam um espaço bem maior que aparentam.

Solução: Leve apenas o básico de maquiagem e aqueles itens importantes para uma maquiagem simples e bonita!

  1. Itens de valor com pouca função na viagem

Por itens de valor me refiro a muitos brincos, relógios grandes, muitas pulseiras e qualquer outro apetrecho de valor que usamos. Não precisa viajar sem nada, apenas fazer uma boa seleção. Eu fico constantemente com um colarzinho de ouro que amo de paixão. Este colar eu nuca tiro. Separo também apenas um par de brincos pequenos e uso eles direto, então nada disso ocupa espaço na mala.

O problema aqui vai além do espaço que os itens ocupam. Quando viajamos, especialmente de mochilão, às vezes deixamos a mala em cima da cama porque não tem locker no hostel, compartilhamos um depósito de malas ou simplesmente corremos o risco de sermos furtados na rua. Em todos esses casos, podemos perder coisas caras ou importantes.

Aqui entra também eletrônicos. Antes de viajar, veja se realmente precisa levar computador, separe qual máquina fotográfica vai usar e todos os apetrechos do seu celular.

Solução: eu sempre levo uma câmera e o meu celular. Esses dois itens (e meu passaporte e dinheiro/cartão) são meus únicos bens caros em viagem. Então, estão sempre na minha mochila comigo. Não deixo no hostel, levo junto no banheiro público, não peço para ninguém vigiar. Quanto menos itens de valor você levar na viagem, mais fácil será o seu controle sobre eles.

Você encontra com a gente sempre as melhores dicas sobre nômades digitais e sobre viajar barato! Coloque seu nome e e-mail abaixo para receber gratuitamente novas publicações do Diário de Navegador em sua caixa de entrada! 😀

Não vai ficar fora de dessa, né?

  1. Sapato de salto

Esse item talvez seja o primeiro a ser colocado em prática. Não perca seu tempo e espaço na mala com salto alto! A não ser que você tenha um evento específico na viagem e sabe de antemão que vai precisar de um sapato mais social, não leve um salto na sua mala. Acredite em mim, você não vai usar. E se usar, vai ser a única pessoa usando, provando que é um item super dispensável.

Eu levei um par de sandálias de salto pro Canadá no meu primeiro intercâmbio e arrependi muito. Serviu apenas para ocupar o espaço de outra coisa. No meu segundo intercâmbio já fiquei mais esperta e não levei, mas ainda assim levar uns 3 ou 4 pares de tênis diferentes e usei só uma bota que comprei por lá e no máximo 1 desses pares de tênis.

Solução: leve um chinelo para banho, um tênis bom (ou uma bota se for inverno e você tiver uma) e uma sandália baixa que vai com tudo. Na verdade, se for inverno, pode levar só a bota/tênis e o chinelo. Juro que não precisa de mais!

Eu sei que a gente fica vendo aquelas fotos lindas de pessoas maravilhosas e super bem vestidas em viagem e pensa “na próxima viagem quero estar assim também”. Mas olha, na vida real de um viajante econômico (de dinheiro e espaço) a realidade é outra. E não se esqueça que dá para ser bem vestido com poucas peças e opções.

  1. Embalagens grandes

Alguns produtos temos sempre que levar, como desodorante, perfume, shampoo, condicionador, sabonete… E eu ainda levo sempre um hidratante para o rosto e um sabonete também para o rosto. Acaba sendo muita coisa. Mas tem um jeito de levar tudo sem se prejudicar: escolha embalagens pequenas!

Solução: se você for pegar um voo internacional, vai ter que colocar tudo em embalagens de 100 ml de qualquer jeito. Mas te sugiro manter essa regra mesmo se não for voar para outro país. Um dinheiro bem gastado foi a minha bolsinha plástica com 3 vidrinhos de 100 ml para viagem. Eu sempre tiro um vidrinho para colocar creme corporal ou facial e guardo junto com a maquiagem e deixo na bolsa 2 vidrinhos com shampoo e condicionador e coloco ainda minha saboneteira com o sabonete de corpo e rosto junto.

Já aconteceu comigo até de precisar cortar o sabonete no meio para caber. Parece mesquinho, mas coloquei a quantidade certa de sabonete na saboneteira para conseguir fechar a bolsa e não precisei usar duas saboneteiras para viajar. Eu chamo isso de economia de espaço!

Para o desodorante, já existem embalagens pequenas feitas pelas empresas para serem transportadas no avião. Opte por levar o desodorante desta embalagem menor! O perfume é mais difícil. Não é uma coisa que gosto de mudar de embalagem, então criei outra solução. Quando preciso economizar espaço, viajo com brindes e amostras de perfume! Não me importo em ser um perfume diferente com um cheiro que “não é meu”.

Claro que não levo aqueles vidrinhos de 5 ml, mas vidros maiores, de cerca de 100 ml. Fui juntando e agora sempre tenho um guardado em casa para viajar. E o bom é que perfume costuma durar muito, então não precisa ter um novo a cada viagem.

  1. Chapinha ou babyliss

Muitas pessoas conseguem viajar tranquilamente sem se preocupar com cabelo. Outras adoram o efeito natural. Mas para as pessoas que gostam e são preocupadas com o cabelo, é muito normal levar alguma coisa para manter o cabelo como gosta. Mas vou sugerir pensar bem a respeito do que levar na viagem.

Tanto a chapinha quanto o babyliss – ou outro dessa linha – ocupam muito espaço e você nem vai usar tanto assim. Pense primeiro qual a sua real necessidade de levar algo assim.

Solução: a solução pode ser bem simples e não levar nada. Normalmente é isso que eu faço, mas sei que cada cabelo reage de uma forma. Por exemplo, no auge do inverno na Europa, eu estava preocupada com o meu cabelo não secar direito, eu dormir com ele molhado e adoecer no meio da viagem. Resolvi então levar o meu secador de cabelo. Não era só por estética, mas também para secar o cabelo a noite.

Não atrapalhou tanto minha mala quanto eu pensei, apesar de ocupar muito espaço (se organize levando menos coisas para caber algo assim). Então minha dica é: se é indispensável para você, leve um secador! É mais útil que chapinha e babyliss e ainda ajuda a secar o cabelo. No mais, faça uma mala econômica em outros quesitos para fazer caber o sacador!


E você? Já levou alguma coisa desnecessária na mala?

Se você gostou desse post e quer dar uma olhadinha nele outras vezes, salva a imagem abaixo no seu painel de viagens no Pinterest! 😀

O sucesso de uma mala bem feita está na praticidade e organização. O problema é que arrumar a mala de viagem não é uma tarefa tão fácil assim. Por isso, separamos 7 coisas para não levar na mala de viagem! 

Lembre-se que o DDN está aberto a críticas e sugestões via Facebook, comentários e através do nosso contato direto.

2 Replies to “7 coisas para não levar na mala de viagem”

Compartilhe suas ideias