Hospedagem alternativa: como funciona o Airbnb?

A busca por meios de hospedagens alternativos tem crescido muito nos últimos anos. Hoje, os hotéis já não tem a mesma procura de antigamente. Tiveram que abrir espaço para acomodações mais baratas, mais práticas e mais culturais. Uma delas, é o famosos site de hospedagens Airbnb. Criado em 2008, o site busca conectar hóspedes com pessoas que tenham um quarto, uma sala, um apartamento inteiro ou uma casa toda disponível para aluguel por diárias. Mas enfim, como funciona o Airbnb?

O Airbnb, como o próprio site informa, foi criado em 2008 por dois designers que tinham um espaço extra e hospedaram três viajantes que estavam em busca de um lugar para ficar. Eles tiveram a brilhante ideia de levar essa ideia para o mundo todo.

Hoje, você acessa o site e pode escolher um quarto na casa de alguém, para experimentar um pouco da cultura local ou um lugar exclusivo para você e seus companheiros de viagem!

O site é uma forma de fugir dos alto preços de hospedagem sem perder o conforto da sua viagem. Ele vai desde sofás até casas lindas! O leque de opções é enorme, o que permite que agrade a quase todos os turistas. É bom para quem viaja sozinho e quer se inteirar mais da cultura local, para quem viaja de casal e que um lugar privativo sem pagar muito e para quem viagem de grupo a aproveita para cozinhar junto e criar momentos.

Como funciona o Airbnb

O site é bem simples de mexer. Já na página inicial você pode pesquisar o local que você irá visitar e a data de viagem.

Selecione quantos hóspedes serão e clique em buscar. No meu exemplo, vou procurar um apartamento em Paris de 05/08/2017 a 10/08/2017 para duas pessoas.

Assim que abrir a página da sua pesquisa, aparece junto um mapa da cidade, assim fica mais fácil escolher a hospedagem no local que você quer.

Lá em cima, junto com a data da viagem, existem outros filtros que vão te ajudar a selecionar acomodações que tenham o perfil que você deseja. Por exemplo, em “tipo de acomodação”, você pode escolher por casa inteira, quarto inteiro ou quarto compartilhado. Vale lembrar que quanto mais exclusivo é o seu perfil (por exemplo, casa inteira) mais caras ficam as acomodações.

Em “faixa de preço”, você pode escolher o máximo e mínimo que deseja pagar por noite. Em “mais filtros”, você pode escolher itens mais específicos que devem ter na acomodação, como internet, tv, acessível para cadeira de rodas, elevador, etc.

Você pode dar zoom no mapa e ir se aproximando das acomodações para ver melhor a localização e preços. Nesse caso, os preços são por diária para duas pessoas, que foi o que selecionei na minha pesquisa.

Mapa com zoom.

Logo abaixo do mapa, você pode alterar o idioma da página e a moeda. Nesse caso, estamos usando o real, mas se você quiser fazer uma pesquisa em euros, por exemplo, é só alterar nesta janela.

Quando você vai se aproximando da área que deseja, as acomodações sugeridas ao lado vão mudando e se adaptando à sua pesquisa.

A área que aproximei é a área mais cara de Paris, perto do Museu do Louvre e de outras famosas atrações. Para quem quer uma hospedagem mais barata, busque por regiões da cidade mais acessíveis quanto à acomodação.

Quando você clica em um dos perfil de acomodação do lado do mapa, aparece uma janela com todas as informações sobre a pessoa que está alugando o espaço e o que contem nele.

Você pode ver mais fotos do lugar, mandar uma mensagem para o anfitrião, conhecer mais sobre o espaço, salvar na wish list (lista de desejos) e verificar o valor total da reserva. Alguns lugares acrescentam uma taxa de limpeza, taxa de reserva, etc. São normais na hospedagem e o site já inclui todos os valores na hora da reserva, então não tem surpresas de pagamentos!

Quando você clica em “pedir para reservar”, o site te pede para confirmar algumas informações suas, como telefone, e te direciona para uma página onde você deve preencher informações sobre sua viagem.

A partir daí, é só clicar em “próximo”, preencher os dados do seu cartão de crédito e enviar pedido de reserva. Alguns lugares aceitam as reservas na hora e em outros o anfitrião deve aprovar primeiro. Caso o anfitrião precise aprovar primeiro, você só será cobrado caso ele confirme.

O site tem crescido muito e nos últimos tempos começaram a oferecer outros serviços além de hospedagem. Hoje eles também oferecem “experiências” que são passeios culturais nos destinos. Você pode procurar por experiências na página inicial.

Segurança e assistência do site Airbnb

O site é bem seguro em relação a dados pessoais, cartão de crédito, etc. Vejo poucos problemas em relação a isso. Para resolver qualquer problema que você possa ter, eles contam com um atendimento 24 horas que funciona todos os dias da semana. É só clicar aqui e entrar em contato.

O pagamento é feito por meio da plataforma deles, o que garante mais segurança e não permite que o preço seja diferente do que foi combinado.

Todos os anfitriões e hóspedes são analisados cuidadosamente pela equipe do Airbnb e normalmente, quando alguém relata um problema com o anfitrião, o site tira ele do ar ou resolve o seu problema para você.

Formas de pagamento

Para facilitar ainda mais a sua vida, o Airbnb aceita diferentes formas de pagamento, como cartão de crédito, cartão de débito, PayPal, boleto bancário, etc. Confira as formas de pagamento aqui.

Nossa experiência com Airbnb

Tivemos uma experiência maravilhosa com o Airbnb em Paris. Na época, procuramos por hostels na cidade, mas os preços estavam em torno de 25 euros a diária para cada em quarto coletivo. Resolvemos tentar o Airbnb e encontramos um apartamento perto da estação de metrô Place de Clichy.

Pagamos cerca de 28 euros cada um na diária para termos um apartamento só nosso! Ele era bem pequeno e tinha o banheiro do lado de fora, mas nos serviu muito bem, era bem localizado e o preço ajudou bastante. Como tinha cozinha, fizemos algumas refeições no apartamento para economizar e com isso tivemos mais dinheiro para aproveitar as refeições que escolhemos fazer fora.

A nossa anfitriã era extremamente educada e nos deu todas as informações necessárias para encontrar o apartamento, a chave e fazer tudo funcionar. Dentro do apartamento, na mesinha da cozinha, ela deixou um bilhete com instruções sobre a nossa saída, como tirar a roupa de cama e colocar no cesto de roupa suja, onde deixar a chave, o que fazer com os alimentos que sobrassem, etc.

O apartamento e o prédio em geral eram exatamente como nas fotos e descrições no site e não tivemos nenhuma surpresa desagradável (a não ser o tanto de escada que tinha no prédio, mas é bem normal em Paris). Infelizmente a anfitriã tirou o apartamento do ar, então não posso mais recomendar o mesmo lugar que ficamos.

Nossa experiência foi super positiva e eu voltaria a me hospedar outras vezes com certeza! Foi uma ótima economia, nos deu a privacidade que queríamos depois de dois meses mochilando e ficando em hostel. Foi bem mais confortável.

Agora, aproveite o presente do Diário de Navegador e comece a planejar sua viagem com esse método alternativo de hospedagem! Tenha uma experiência maravilhosa, do jeitinho que você procura!

Como encontrar um bom lugar para se hospedar?

Às vezes encontramos ótimas hospedagens na sorte, às vezes recebemos indicações de amigos. Mas na maioria das vezes, o que realmente conta é como procuramos e o que procuramos.

Vale lembrar aqui que algumas casas possuem regras e quando você concorda com elas deve realmente cumprir. Algumas exigem que você não use sapado dentro de casa, não receba convidados, não dê festas ou até mesmo que não leve animais de estimação. Procure com cuidado um ambiente em que você concorde com as regras (caso haja) e não as desrespeite.

Para te ajudar um pouquinho a escolher as melhores hospedagens no Airbnb, separamos algumas dicas:

  1. Fique atento aos comentários

A primeira dica é ficar de olho nos comentários. Essa sempre é a chave para boas hospedagens, inclusive hotéis e hostels. A descrição feita pelo anfitrião, apesar de verdadeira, é muito floreada e as vezes podem deixar de lado detalhes que você nem notou.

Um exemplo disso, foi o nosso apartamento em Paris que não tinha elevador e era no último de cinco andares de escada redonda. Não havia descrição sobre escada ou elevador no prédio. Os próprios hóspedes são as melhores pessoas para te dizer se aquela hospedagem vale a pena.

  1. Converse com o seu anfitrião

Escolha um lugar onde o anfitrião conversa bem com você e faz questão de sanar todas as suas dúvidas. Uma pessoa bem disposta explicando direitinho como tudo funciona, faz toda a diferença na hora de escolher um lugar para se hospedar. Dê preferências para um bom anfitrião.

Além disso, para aqueles que estão alugando apenas um quarto, o anfitrião fará toda a diferença na sua experiência com a acomodação e com a cidade em geral. Converse com o anfitrião antes e busque fazer isso sempre pelo site do Airbnb.

Evite trocar e-mail pessoais ou outros contatos. Caso haja algum problema com a sua acomodação, é importante ter todos os registros do foi acordado entre você para pedir auxílio à equipe do Airbnb.

  1. Liste suas prioridades

Liste mentalmente as suas prioridades antes de fazer uma busca pelo Airbnb. Analise o seu orçamento e o tipo de viagem que você está disposto a fazer. Quantas pessoas vão com você? É um grupo de amigos ou seu companheiro (a) com filhos? Vai sozinho? Tudo isso faz uma enorme diferença na sua pesquisa.

Como existem quartos compartilhados, quartos inteiros e casa inteiras, os preços variam muito de uma hospedagem para a outra. Tenha em mente o quanto você pretende gastar e qual o conforto que você precisa. Só assim conseguirá filtrar adequadamente as hospedagens.

  1. Abuse dos filtros

Use bastante os filtros que o site fornece. Eles são uma excelente forma de priorizar os seus interesses e não te fazer perder tempo com hospedagens que não são do seu perfil. Navegue bastante pelo site e veja todas as opções selecionadas para você.

Seja o mais detalhista possível. Quanto já tiver visto todas as opções, mude um pouco a seleção dos filtros (ainda para algo do seu perfil). Assim, podem aparecer novas opções que podem não ter aparecido antes. Isso é muito importante pois nem sempre o site vai te mostrar nas primeiras opções a hospedagem mais barata. Por isso, seja minucioso nas pesquisas.

  1. Observe bem o preço final

Fique bem atendo ao preço final da reserva. É ele que conta. Podem ter algumas taxas embutidas, como reserva, limpeza e a comissão do Airbnb, claro.

O preço que aparece no início da sua busca pode não ser o mesmo que aparece no final. Essas taxas são normais de aparecer e é até correto que elas existam. Para não ter surpresas com o valor da fatura no final do mês, preste bastante atenção ao valor final da reserva, e não o valor que apareceu no início.

  1. Atenção ao número de hóspedes

Informe exatamente o número de pessoas que irão se hospedar. Mesmo que na descrição diz ter três camas e o valor seja para duas pessoas, informe ao anfitrião sobre a terceira pessoa. Omitir hóspedes é uma falta grava no site e não deve acontecer. O preço se ajusta ao tanto de pessoas. Às vezes a terceira cama que tinha na descrição não fica normalmente na casa. Então seu terceiro companheiro de viagem pode nem ter onde dormir se não avisar.

  1. Fique de olho no mapa

O mapa que aparece ao lado é uma mão na roda e ajuda demais a se localizar na cidade. Mesmo que ele seja uma das melhores partes do site na minha opinião, não deixe de abrir o Google Maps. Abra em outra aba e visite a região que está escolhendo.

As vezes no mapa parece bem localizado e bacana, mas quando você olha no street view, tem outra impressão. É sempre bom conferir a qualidade da vizinhança que você irá se hospedar. É uma dica que serve para qualquer meio de hospedagem!

  1. Reserve com antecedência

Como tudo na hora de montar sua viagem, a antecedência é fundamental. Os valores não se alteram perto da data como em um hotel ou hostel. Mas de última hora podem ter sobrado apenas opções caras. As opções boas e baratas obviamente são sempre as primeiras a esgotarem. Se prepare para reservar com antecedência!

  1. Tenha sua chegada combinada com o anfitrião

É importante que você consiga se comunicar com o seu anfitrião no dia da sua viagem. Tenha isso combinado de antemão. Isso é importante, pois ao contrário dos hotéis e hostelsnão existe uma recepção que funciona sempre. Informe o seu horário de chegada ao anfitrião e combina como funcionará a sua chegada.

No meu caso, a anfitrião não foi nos receber. Ela explicou passo a passo com muitos detalhes onde encontrar a chave na entrada do prédio. Dependendo da situação de chegada e do o anfitrião, pode tomar um tempinho da viagem. Então por garantia, evite Airbnb para apenas uma noite na cidade. A não ser que esteja só de passagem e conhecer a cidade não está nos seus planos!

  1. Analise se o Airbnb é o melhor para você

Lembre-se que nem sempre o Airbnb vai ser sua melhor opção. Em uma cidade como Paris, que tem milhares de opções e acomodações geralmente muito caras, achei perfeito. Mas em uma cidade pequena com poucas opções, os valores podem ser mais salgados que outas hospedagens. Considere um Airbnb como mais uma opção de hospedagem e não a melhor. Afinal, não existe “a melhor hospedagem”. Existe a mais adequada para você naquele momento que precisa!

Foto de capa: Lisbon Homes


E você? Já teve alguma experiência com Airbnb? Conta pra gente!

Lembre-se que o DDN está aberto a críticas e sugestões via Facebook, comentários e através do nosso contato direto.

Nós estamos sempre atualizados com as melhores dicas para viajar barato! Coloque seu nome e e-mail abaixo para receber gratuitamente novas publicações do Diário de Navegador em sua caixa de entrada! 😀

Não vai ficar fora dessa, né? 😉

Escrito por
Mais de Mar Falco

Bolonha: cidade base para conhecer o norte da Itália

Capital e maior cidade da Emilia-Romagna, Bolonha (ou Bologna em italiano) é...
Leia Mais

2 Comentários

  • Ameiiiiiii as dicas Mar Muito importantes e várias coisas que nem tinha pensado.. Estou aqui pesquisando desde o dia que conversamos, super ansiosa para fechar logo.. parabéns! Beijos

Compartilhe suas ideias